Rio de Janeiro Projeto da Alerj permite visor em caixões de vítimas da covid-19

Projeto da Alerj permite visor em caixões de vítimas da covid-19

Para deputada Rosane Felix, medida pode amenizar dor de familiares e evitar trocas de corpos, já que caixões ficam fechados para evitar contaminação

  • Rio de Janeiro | Isabela Afonso, do R7*

Governador tem 15 dias para sancionar ou não projeto

Governador tem 15 dias para sancionar ou não projeto

Reprodução/Alerj

A Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) aprovou nesta terça-feira (23) um projeto de lei que permite que as funerárias disponibilizem caixões com visor para que familiares vejam o rosto de vítimas da covid-19 durante o sepultamento.

Em razão da pandemia, o Ministério da Saúde orientou que os caixões permaneçam fechados para evitar a contaminação pelo novo coronavírus durante as cerimônias.

De acordo com o projeto da deputada estadual Rosane Felix (PSD), o corpo da vítima deverá estar envolto de um saco translúcido e não poderá ser cobrado nenhum acréscimo no valor dos sepultamentos.

“Ver o rosto ameniza o sofrimento das famílias, mas é muito além do que uma simples medida humanitária. A sanção da lei pode evitar a troca de corpos nos sepultamentos, o que vem causando angústia, dor e aflição aos familiares conforme já noticiado. Esperamos que o governador entenda a importância e sancione o quanto antes”, afirma a deputada.

O governador do Rio, Wilson Witzel, tem até 15 dias para sancionar ou vetar o projeto de lei.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas