Rio de Janeiro Proprietária e funcionários de casa de repouso são presos sob suspeita de maus-tratos contra idosos no Rio

Proprietária e funcionários de casa de repouso são presos sob suspeita de maus-tratos contra idosos no Rio

Vinte e nove pessoas serão transferidas para outras unidades; ao menos três vítimas foram levadas a hospitais

  • Rio de Janeiro | Gabriel Pieroni*, do R7, com Felipe Batista, da Record TV Rio

A proprietária e dois funcionários de uma casa de repouso foram presos, no último domingo (7), por maus-tratos contra idosos em Guaratiba, na zona oeste do Rio. A prefeitura interditou o local por falta de alvará de funcionamento e decidiu transferir as vítimas para outras unidades. 

De acordo com a Record TV Rio, 29 idosos viviam no imóvel e pagavam mensalidades de até R$ 3 mil pela hospedagem. Ao menos três deles foram resgatados em uma situação delicada e precisaram ser levados a hospitais. 

Uma das vítimas apresentava feridas profundas pelo corpo, desnutrição e desidratação. Ela foi socorrida de ambulância à UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Campo Grande e, depois, encaminhada para o Hospital Municipal Pedro II, onde permanece internada devido à gravidade das lesões.

O delegado Marcus Montez, da 35ªDP (Campo Grande), disse ter encontrado idosos no chão, com machucados visíveis e infecção generalizada.

Segundo um técnico de enfermagem, que trabalhou por quatro meses no local, faltavam itens básicos na casa de repouso para cuidar dos idosos.

"Peguei sarna por não ter material adequado. Não tinha luva para trabalhar. Eu já precisei ficar de plantão e cuidar de 35 pacientes sozinho. Alguns dias eles não tinham o que comer e tomavam banho gelado de madrugada" contou o técnico de enfermagem.

Restos de comida foram encontrados

Restos de comida foram encontrados

Reprodução/Record TV Rio

Na cozinha, os investigadores encontraram uma panela com restos de comida. Os pães eram comprados uma vez na semana, de acordo com uma ex-funcionária e, muitas vezes, eram servidos mofados.

"Os pães ficavam mofados, e a gente dava mofado porque não tinha outra coisa" relatou a ex-funcionária.

Em outro caso, uma mulher relatou ter ficado durante um ano impedida de ver o marido. Em entrevista à Record TV Rio, ela contou que o idoso está com sarna nos braços e um machucado no pé.

A polícia também investiga se um idoso teria morrido em decorrência de maus-tratos no local anos atrás.

Outra proprietária do estabelecimento não estava no local, mas também vai ser investigada, segundo a polícia. Os suspeitos podem responder pelos crimes de maus-tratos, agressão, omissão de socorro e tortura.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas