Rio de Janeiro Reviravolta: terceiro menor suspeito de envolvimento na morte de médico na Lagoa se entrega à polícia 

Reviravolta: terceiro menor suspeito de envolvimento na morte de médico na Lagoa se entrega à polícia 

Polícia Civil já havia considerado caso esclarecido; delegada ainda não se pronunciou

Reviravolta: terceiro menor suspeito de envolvimento na morte de médico na Lagoa se entrega à polícia no Rio

Um terceiro menor se entregou à policia do Rio, nesta terça-feira (2), e assumiu participação na morte do médico Jaime Gold, na Lagoa Rodrigo de Freitas, no dia 19 de maio.

O adolescente prestava depoimento no Fórum de Olaria, na zona norte do Rio, por volta das 19h. Ele estava sendo ouvido pelo promotor Renato Lisboa. A informação foi confirmada pela assessoria do MPRJ (Ministério Público do Rio de Janeiro). 

Com essa nova informação, o caso pode ter uma reviravolta. Até então, a delegada da Divisão de Homicídios da Capital, Patricia Aguiar, já considerava o crime esclarecido. As investigações foram concluídas depois que dois adolescentes - um de 16 e outro de 15 anos - foram apreendidos.

Procurada pelo R7, a delegada não atendeu às ligações. A assessoria da Polícia Civil covocou uma entrevista coletiva para as 21h30 sobre o caso.

Entenda o caso

O médico Jaime Gold, de 57 anos, foi esfaqueado quando pedalava na Lagoa Rodrigo de Freitas, na zona sul do Rio, no dia 19 de maio. Segundo testemunhas, o médico foi atacado por dois menores, que roubaram a bicicleta dele. A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos. 

Após o crime, um adolescente de 16 anos foi apreendido e apontado pela policia como o autor do crime. No entanto, ele negou participação no caso em depoimento à Justiça.

No último dia 28, outro adolescente, de 15 anos, também foi apreendido. O segundo jovem teria admitido que participou da ação, mas atribuiu o crime ao primeiro menor apreendido. 

Na ocasião, a delegada da Divisão de Homicídios Patrícia Aguiar reiterou que o autor do crime foi o primeiro menor apreendido pela Polícia Civil. De acordo com ela, o segundo menor foi responsável por jogar a arma do crime no Rio Maracanã, na zona norte do Rio.

Delegada questionou investigação

Na semana passada, a titular da Delegacia do Leblon ( 14ª DP) , Monique Vidal, fez declarações polêmicas que levantaram dúvidas sobre a apreensão dos dois menores suspeitos da morte do médico Jaime Gold, morto na Lagoa. Pelas redes sociais, a delegada disse que a testemunha citada na investigação garantiu que um dos suspeitos do crime seria branco. No entanto, os dois menores presos são negros. 

Assista ao vídeo: