Rio de Janeiro Rio: Cedae instala novo sistema e interrompe abastecimento

Rio: Cedae instala novo sistema e interrompe abastecimento

Fornecimento de água para às 19hrs desta terça (6) e retorna às 7h de quarta (7); medida deve evitar proliferação de geosmina

A Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro) vai colocar em operação nesta quarta-feira (7) um novo sistema de bombeamento do Rio Guandu à Lagoa Grande que pretende renovar a água, reduzindo os fatores que contribuem para a concentração de algas produtoras da geosmina, substância produzida por algas que têm causado cheiro e gosto no água abastecida pela companhia.

A população do Rio vem sofrendo com a qualidade da água

A população do Rio vem sofrendo com a qualidade da água

Tomaz Silva/Agência Brasil

Para a medida, será preciso interromper a atividade da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Guandu das 19hrs desta terça (6) às 7h de quarta (7). O abastecimento pode levar até 48 horas para ser normalizado.

A empresa realizará a abertura das comportas do Rio Guandu nesta noite para acelerar o processo de renovação. A manobra consiste no escoamento com maior volume e velocidade da água da lagoa.

A operação integra o conjunto de medidas que a companhia diz que está adotando para controlar a geosmina. A bomba será implantada antes da captação de água da estação de tratamento e também vai ajudar a promover a renovação da água da lagoa.

Com esta manobra, somada à operação da bomba, a Cedae espera conter a proliferação das algas produtoras da substância.

Em nota, a empresa destacou que a solução definitiva para o problema da geosmina virá com a obra de proteção da tomada de água da ETA Guandu, que tem licitação prevista para 1º de junho.

A intervenção prevê a construção de um dique para impedir que as águas dos rios Ipiranga, Queimados e Poços se misturem às do Rio Guandu. O investimento de aproximadamente R$ 132 milhões, tem duração prevista de 24 meses.

Polícia diz que vai ouvir pai de Henry novamente nos próximos dias

Serviço:

- Imóveis com sistema interno de reserva (cisterna e/ou caixa d'água) não devem sofrer desabastecimento.

- Em áreas de ponta do sistema (extremidade das redes) e em regiões elevadas o abastecimento pode levar até 48h para ser normalizado.

- Haverá um esquema especial para atender hospitais e outros serviços essenciais com carros-pipa, caso haja necessidade.

- A Cedae pede que clientes que possuam sistemas de reserva internos usem água de forma equilibrada e adiem tarefas não essenciais que demandem grande consumo de água.

* Estagiário do R7 sob supervisão de PH Rosa

Últimas