Rio de Janeiro Rio de Janeiro tem cinco casos em investigação do novo coronavírus

Rio de Janeiro tem cinco casos em investigação do novo coronavírus

Boletim da última quarta-feira (26) aponta duas pessoas sendo monitoradas na capital, outras duas em Niterói e uma em Nova Iguaçu, na Baixada

Funcionários usavam máscara na UPA, em Nova Iguaçu

Funcionários usavam máscara na UPA, em Nova Iguaçu

Reprodução/Record TV Rio

A SES-RJ (Secretária Estadual de Saúde) divulgou na última quarta-feira (26) que está investigando cinco casos suspeitos do novo coronavírus em todo o Estado. A doença, batizada de Covid-19, tem duas pessoas sendo monitoradas no Rio de Janeiro, duas em Niterói, na região metropolitana, e uma em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Brasileiro com coronavírus recebeu 30 parentes antes de adoecer

O último caso suspeito foi identificado justamente em Nova Iguaçu, em uma paciente de 49 anos. A mulher, que não teve a identidade divulgada, chegou ao Hospital Geral da Posse com um quadro de febre, coriza e tosse, sintomas da Covid-19.

Após ser classificada como um caso de baixa complexidade no protocolo do Ministério da Saúde, a paciente foi transferida para a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) do bairro Botafogo.

Entretanto, de acordo com a Prefeitura de Nova Iguaçu, a paciente disse apenas na UPA Botafogo que havia ido à Europa e feito uma conexão em Milão, região da Itália que sofre um surto da doença. Depois do aviso, os médicos responsáveis pelo atendimento iniciaram o protocolo de bloqueio do Covid-19.

Ainda em nota, a Prefeitura de Nova Iguaçu declarou que nesta quinta-feira (27) a residência da família da paciente será visitada “para que os familiares e pessoas que tiveram contato com ela sejam orientados como proceder até que o diagnóstico” seja apresentado.

Casos pontuais ou surto generalizado: os possíveis cenários para o coronavírus no Brasil

A SES-RJ reiterou que não há nenhum caso do novo coronavírus confirmado no Estado e pediu para a população não se alarmar. A secretaria também relembrou a importância de cuidados básicos, como lavar frequentemente as mãos, proteção de nariz e boca ao espirrar e tossir, além da utilização de álcool em gel.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Celso Fonseca

Últimas