Rio de Janeiro Rio: Entregador diz que foi chamado de  'favelado' em condomínio 

Rio: Entregador diz que foi chamado de  'favelado' em condomínio 

Cleyton Pires teria sido ofendido por mulher que se diz juíza, na Barra da Tijuca

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Record TV Rio

Cleyton gravou discussão

Cleyton gravou discussão

Reprodução/Record TV Rio

Um entregador denunciou, nas redes sociais, ter sido vítima de discriminação ao levar uma encomenda a um condomínio na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, no último fim de semana.

No vídeo, Cleyton Pires é visto discutindo com uma mulher que se diz juíza. Ela o acusa de ter “esmurrado” seu portão e o chama de “favelado”. O entregador afirmou, na gravação, que tocou a campainha da casa três vezes e ninguém atendeu. Ele diz que, então, bateu no portão e começou a ser ofendido pela mulher.

“Favelado, eu repito. Favelado de corpo, alma e pensamento”, diz a mulher, dirigindo-se a Cleyton. Durante a discussão, ele tenta ir embora, mas é impedido por ela e por um segurança do condomínio que havia sido acionado.

O entregador registrou ocorrência na 16ª DP (Barra da Tijuca), que investiga o crime de injúria por preconceito.

Em nota, o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro afirmou que o nome da mulher não consta no quadro de servidores do órgão. De acordo com informações apuradas pela Record TV Rio, a mulher seria mediadora judicial, apesar de se identificar como juíza nas gravações.

O Mercado Livre, empresa responsável pela encomenda, repudiou a atitude da cliente e disse não tolerar nenhum ato de discriminação e preconceito. Além disso, declarou que, assim que tomou conhecimento do caso, iniciou rigorosa apuração, prestando apoio e orientações a Cleyton. O site também suspendeu a mulher da plataforma durante o período de investigações do caso.

Procurada pela Record TV Rio, a mulher optou por não se pronunciar sobre o caso.

Últimas