Rio de Janeiro Rio: Justiça solta cientista preso após ser confundido com miliciano

Rio: Justiça solta cientista preso após ser confundido com miliciano

Raoni Lázaro Barbosa está preso há mais de 20 dias, quando foi reconhecido por meio de fotos por testemunhas

Cientista de dados foi preso por engano no Rio

Cientista de dados foi preso por engano no Rio

Reprodução/RecordTv

A Justiça do Rio de Janeiro determinou a soltura do cientista de dados Raoni Lázaro Barbosa, preso por engano há 22 dias, depois de ter sido confundido com um miliciano de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.

Raoni é formado pela PUC-Rio, com especialização no MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), nos Estados Unidos. Ele é casado há quatro anos, e trabalha em uma multinacional.

A polícia acusa Raoni de ser responsável por cobrar taxas de moradores e de comerciantes de Caxias, e integrar um grupo de milicianos.

A defesa afirma que Raoni e a esposa moram em Campo Grande, na zona oeste do Rio de Janeiro, e nunca tiveram residência em Duque de Caxias. O reconhecimento de Raoni foi feito por foto.

A fotografia mostrada na investigação foi a de um homem identificado como Raony, com "y", conhecido como ''Gago”, e apontado como integrante de um grupo paramilitar em Duque de Caxias.

De acordo com os policiais, as testemunhas desfizeram o reconhecimento e a delegada responsável pelo caso pediu que a Justiça revogue a prisão do homem.

*Estagiário do R7, sob supervisão de PH Rosa

Últimas