Rio de Janeiro RJ: pai e filho são presos por venda de coleiras de choque para cães

RJ: pai e filho são presos por venda de coleiras de choque para cães

Comercialização do material em lojas físicas ou virtuais é proibida por lei no Estado do Rio de Janeiro

  • Rio de Janeiro | Inácio Loyola, do R7*

A Polícia Civil prendeu um comerciante e o filho dele por contrabando, nesta terça-feira (23). Eles eram responsáveis por duas lojas que vendiam coleiras de choque para cachorros.

Coleira de choque é proibida

Coleira de choque é proibida

Divulgação/Polícia Civil

Os homens foram capturados durante uma operação policial em conjunto com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária, Pesca e Abastecimento.

Os estabelecimentos dos presos ficavam na Rocinha, zona sul, e no centro do Rio. Nos locais, foram encontradas 26 coleiras, que ficavam expostas nas vitrines e prateleiras.

O material era de um modelo chinês, sem selo do Inmetro ou qualquer tipo de selo de segurança. Os homens foram encaminhados para 11ª DP (Rocinha).

As prisões ocorreram em desdobramento de outra ação conjunta com objetivo de apurar o uso dessas coleiras em uma hospedagem de animais na estrada da Gávea. Nesta semana, outras duas pessoas foram indiciadas pela 11ª DP por maus-tratos a animais.

A venda ou uso das coleiras de choque foi proibida no Estado do Rio de Janeiro em 8 de março de 2021, por meio da Lei 9.197/2021. A comercialização não pode ocorrer em lojas físicas ou virtuais.

É considerada coleira de choque (ou coleira eletrônica ou de eletricidade estática) aquela usada em cães e que emite descarga elétrica por controle remoto ou automaticamente quando o animal late.

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas