Rio de Janeiro Sérgio Cabral passa mal na cadeia ao saber que filho é alvo de operação da PF no Rio

Sérgio Cabral passa mal na cadeia ao saber que filho é alvo de operação da PF no Rio

José Eduardo Cabral é investigado na operação Smoke Free, que prendeu ao menos 15 pessoas nesta quarta-feira (23)

  • Rio de Janeiro | Do R7, com Record TV Rio e Agência Brasil

Sérgio Cabral cumpre pena na Unidade Prisional da Polícia Militar

Sérgio Cabral cumpre pena na Unidade Prisional da Polícia Militar

Valter Campanato Arquivo/ Agência Brasil

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, passou mal na manhã desta quarta-feira (23) na Unidade Prisional da Polícia Militar, ao saber que seu filho mais novo, José Eduardo Cabral, é um dos alvos da operação Smoke Free da Polícia Federal.

Segundo a Polícia Militar, ele recebeu atendimento médico dentro da unidade, e seu estado de saúde é considerado estável.

A operação foi iniciada na manhã de hoje com o objetivo de cumprir 27 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão. Até as 12h, 15 pessoas haviam sido presas, entre elas um policial federal e ao menos sete policiais militares.

Também estão sendo cumpridas ordens de bloqueio, sequestro e apreensão de bens, assim como imóveis, criptomoedas, veículos e dinheiro em espécie, avaliados em R$ 300 milhões.

Segundo a PF, o grupo atua pelo menos desde 2019, vendendo cigarros em áreas de facções criminosas do Rio, por meio de um acerto com essas organizações. As notas fiscais dos produtos eram falsificadas ou, às vezes, nem sequer emitidas.

Dívidas

O dinheiro obtido com a venda ilegal de cigarro era lavado e remetido de forma irregular ao exterior. O grupo que dá apoio ao esquema criminoso é, segundo a PF, um devedor da União. Deixou de recolher cerca de R$ 2 bilhões aos cofres públicos.

A operação conta com o apoio do MPF (Ministério Público Federal) e da Agência de Investigações da Segurança Interna dos Estados Unidos em Brasília, a qual compartilhou informações com a PF.

Os investigados podem responder por sonegação fiscal, duplicata simulada, receptação qualificada, corrupção ativa e passiva, lavagem de capital e evasão de divisas.

Últimas