Rio de Janeiro Suspeito de operar esquema de pirâmide é preso no Rio

Suspeito de operar esquema de pirâmide é preso no Rio

Homem é dono de empresa que patrocinava times de futebol que já gerou prejuízo de mais de R$ 170 milhões a investidores em todo o país

Suspeito foi preso na Barra da Tijuca

Suspeito foi preso na Barra da Tijuca

Reprodução

Um homem suspeito de ser responsável por operar o maior esquema de pirâmide financeira do país foi preso na manhã desta segunda-feira (9) na zona oeste do Rio. Segundo a Polícia Civil, o homem estava sendo monitorado há algumas semanas e foi preso por agentes da DDEF (Delegacia de Defraudações) que cumpriram mandado de prisão preventiva.

Adolescente é baleada nas costas em festa de aniversário no Rio

De acordo com as investigações, ele era dono de uma empresa que deu prejuízo de cerca de R$ 170 milhões aos investidores. Somente das 60 vítimas ouvidas pela polícia, o prejuízo calculado foi de R$ 60 milhões.

O inquérito da DDEF que investiga o caso indiciou outras oito pessoas que também lucraram com o esquema. Para aumentar o número de clientes, os suspeitos ofereciam aos investidores um lucro de 10% a 15% por mês.

No Rio, o acusado responde por outros 30 inquéritos em outras delegacias. Ele também responde a processos em São Paulo, Maranhão, Recife, Ceará e outros estados. Ainda de acordo com a polícia, há uma estimativa de mais de 3.000 pessoas que sofreram prejuízos com a empresa dele, perdendo até mais de R$ 1 milhão.

A empresa do acusado ficou conhecida após patrocinar times de futebol e de artistas e jogadores investirem na pirâmide e perderem dinheiro.

Últimas