Rio de Janeiro Temporal deixa Rio em estágio de crise, com risco de deslizamentos

Temporal deixa Rio em estágio de crise, com risco de deslizamentos

Defesa Civil chegou acionar sirenes de alerta em 19 comunidades. Previsão é de que a chuva continue forte durante toda madrugada

Homem e criança atravessam rua alagada no Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro

Homem e criança atravessam rua alagada no Botafogo, zona sul do Rio de Janeiro

Marcelo Guedes/ Estadão Conteúdo

Um temporal que atinge o Rio de Janeiro desde o início da noite desta segunda-feira (8), causou alagamentos em vários bairros, derrubou árvores, destruiu carros em vários bairros e complicou o trânsito.

Às 20h55 a cidade entrou em estado de crise. A Defesa Civil chegou a acionar 35 sirenes em 19 comunidades, para alertar do risco de desabamentos e desmoronamentos, entretanto, até as 20h15 não havia registro de desabamentos nem de vítimas da intensa chuva.

Leia também: Temporal provoca alagamentos e deslizamentos no Estado do RJ

O INMET (Instituto Nacional de Meteorologia) prevê que a chuva forte continue pela cidade ao menos até às 10h de terça-feira (9). A Prefeitura recomenda que a população somente saia de casa "em caso de extrema necessidade".

O bairro mais afetado até por volta de 20h era o Jardim Botânico, na zona sul, onde durante quatro horas choveu 155,4 milímetros, mais que o esperado em todo o mês de abril, que é 136 mm, segundo a prefeitura do Rio.

O segundo bairro onde mais choveu foi o Alto da Boa Vista, na zona norte (102,6 mm, quando a média para o mês é de 193,8 mm). Os outros bairros mais atingidos foram Copacabana, Rocinha (ambos na zona sul) e Tijuca (zona norte). Na zona norte, o rio Maracanã transbordou. Na zona sul, Botafogo e Laranjeiras registraram dezenas de alagamentos.

A ciclovia Tim Maia, na altura de São Conrado, chegou a desabar. É a terceira vez que um trecho da ciclovia, que contorna o mar cai.