Rio de Janeiro Tiroteio mata policial e suspeito e deixa dois feridos no metrô do Rio

Tiroteio mata policial e suspeito e deixa dois feridos no metrô do Rio

Dois homens foram atingidos dentro de vagão em uma operação policial na comunidade do Jacarezinho. Ambos passam bem

  • Rio de Janeiro | Márcia Helena, da Record TV Rio

Troca de tiros deixou dois mortos no Rio hoje

Troca de tiros deixou dois mortos no Rio hoje

Reprodução/Record TV

Um tiroteio na comunidade do Jacarezinho, zona norte do Rio de Janeiro, na manhã desta quinta-feira (6) deixou um policial civil e um suspeito mortos. Além dos dos óbitos,  cinco pessoas foram baleadas, incluindo dois passageiros do metrô que ficaram feridos depois de disparos na estação Triagem. A informação sobre os feridos foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

A ação é coordenada pelo DGPC (Departamento Geral de Polícia da Capital) da Polícia Civil. O agente de segurança ferido levou um tiro na cabeça. Levado para o hospital Salgado Filho, não resistiu e morreu. O suspeito também foi levado ao hospital, e também morreu.

Quanto aos feridos, de acordo com a assessoria do metrô, foram atendidos e passam bem. Um deles, identificado como Humberto Duarte, de 20 anos, foi baleado de raspão no braço. O outro, Rafael Silva, de 33 anos, foi atingido por estilhaços de vidro. Humberto foi encaminhado para o Hospital Souza Aguiar e Rafael para o Hospital Salgado Filho.

Operação é comandada por uma divisão da Polícia Civil do Rio de Janeiro

Operação é comandada por uma divisão da Polícia Civil do Rio de Janeiro

Reprodução/Record TV

Operação Exceptis

Policiais Civis da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente, com apoio de outras unidades do Departamento Geral de Polícia Especializada (DGPE), do Departamento Geral de Polícia da Capital (DGPC) e da Coordenadoria de Recursos Especiais (CORE), realizam nesta manhã a operação Exceptis, na comunidade do Jacarezinho, na zona norte.

A polícia investiga uma organização criminosa que atua na comunidade, explorando práticas como o tráfico de drogas, roubo de cargas, roubos a transeuntes, homicídios e sequestros de trens da Supervia. Além disso, a quadrilha também vem aliciando crianças e adolescentes para integrar a facção.

Últimas