Rio de Janeiro Vacinação contra gripe começa na próxima segunda (4) no Rio

Vacinação contra gripe começa na próxima segunda (4) no Rio

Objetivo da campanha é reduzir as complicações decorrentes das infecções pelo vírus da gripe: internações e óbitos

Rio vai retomar vacinação contra gripe

Rio vai retomar vacinação contra gripe

Tânia Rêgo/ Agência Brasil

A campanha de vacinação contra a gripe terá início na próxima segunda-feira (4) na cidade do Rio de Janeiro. A SMS (Secretaria Municipal de Saúde) informou que a meta é alcançar 90% de imunização dos grupos prioritários, o que corresponde a cerca de 1,8 milhão de pessoas na cidade.

A vacina da gripe é anual e em dose única. Já para as crianças da faixa etária atendida que vão tomar a vacina pela primeira vez este ano, serão duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas.

O objetivo da campanha é reduzir as complicações decorrentes das infecções pelo vírus da gripe: internações e óbitos.

“Ano passado tivemos um surto de gripe que assustou a cidade, ainda mais por estarmos vivendo a pandemia da Covid-19. Para evitar situações como essa, a vacina é a melhor forma de prevenção”, disse o secretário municipal de Saúde, Rodrigo Prado.

O cronograma de vacinação será escalonado por idade, profissionais da saúde e grupos prioritários, que incluem pessoas de 60 anos ou mais, crianças de seis meses a 4 anos, trabalhadores de saúde, gestantes, puérperas (mulheres até 45 dias pós-parto) e trabalhadores da educação.

A vacina produzida pelo Instituto Butantan protege contra as três cepas do vírus influenza que mais circularam no ano passado no Hemisfério Sul: H1N1, linhagem B/Victoria e H3N2 Darwin. A última variante foi a responsável pelo surto que atingiu a cidade do Rio.

Calendário da campanha de vacinação

A campanha começa dia 4 de abril com a imunização dos idosos com 80 anos ou mais e termina no dia 3 de junho. As primeiras quatro semanas são destinadas a pessoas do grupo prioritário com 60 anos ou mais.

Para ser vacinado é necessário comparecer a um posto de saúde com documento de identificação e caderneta de vacinação. É preciso apresentar documento que comprove fazer parte dos grupos prioritários elencados pelo Ministério da Saúde ou documento funcional para os grupos de profissionais atendidos.

Divulgação/Prefeitura do Rio

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas