Rio de Janeiro Vendedor de balas é morto a tiros por policial militar em Niterói

Vendedor de balas é morto a tiros por policial militar em Niterói

PM diz que agente reagiu a tentativa de roubo; testemunhas afirmaram que vítima tentou abordar pedestre para vender balas 

  • Rio de Janeiro | Victor Tozo, do R7*, com Record TV Rio

Yago juntava dinheiro para fazer festa de aniversário para filha, de acordo com primo

Yago juntava dinheiro para fazer festa de aniversário para filha, de acordo com primo

Reprodução/Record TV Rio

Um vendedor de balas identificado como Yago dos Santos foi morto a tiros por um policial militar após uma discussão na estação das barcas em Niterói, na região metropolitana do Rio de Janeiro, no início da tarde desta segunda-feira (14).

A Polícia Militar afirmou que um agente de folga teria presenciado uma tentativa de roubo na Praça Arariboia. Ao intervir, o homem teria "investido contra a integridade" do policial, que atirou contra ele.

No entanto, testemunhas contradizem a versão da PM. Um homem que se apresentou como primo da vítima disse que ele tentou abordar uma pessoa para vender balas e ela o teria chamado de ladrão e, em seguida, um agente que passava pelo local teria entrado na discussão e acabou atirando contra o vendedor.

"Mais um confundido. Largou a vida errada e hoje em dia vende bala pra sustentar a filha, que daqui a quatro dias vai fazer aniversário. Era o sonho dele fazer a festa de dois anos da filha. Será que ainda vai ter essa festa", lamentou o primo.

A morte do vendedor de balas gerou protestos de pessoas que estavam perto da estação das barcas. Agentes do Corpo de Bombeiros, da PM e da Guarda Municipal estavam no local. Agentes utilizaram gás lacrimogêneo para dispersar os manifestantes.

Morte de vendedor causou protestos em Niterói

Morte de vendedor causou protestos em Niterói

Reprodução/Record TV Rio

Um homem acusou guardas municipais de terem utilizado o gás na direção de seu filho, um bebê que estava no colo. Ele relatou ser amigo do vendedor morto.

Em nota, a CCR Barcas informou que houve uma discussão entre dois pedestres nas imediações da estação Arariboia. A Guarda Municipal disse que um suspeito de atirar contra o vendedor foi encaminhado à 76ª DP (Centro).

Já a PM afirmou que um homem, que seria a vítima da suposta tentativa de roubo, foi levado para prestar depoimento na DHNSG (Delegacia de Homicídios de Niterói, São Gonçalo e Itaboraí), que investiga o crime. A corporação também informou que a 4ª Delegacia de Polícia Judiciária Militar foi acionada e acompanha o caso.

O policial que atirou em Yago presta depoimento à DHNSG. A esposa, a irmã e o enteado do vendedor, que estava com ele no momento da morte, já foram ouvidos pelos agentes. 

*Estagiário do R7, sob supervisão de Bruna Oliveira

Últimas