Vistoria de deputados do PSL causa tumulto no Colégio Pedro II, no Rio

Deputado federal Daniel Silveira e deputado estadual Rodrigo Amorim visitaram campus de São Cristóvão na manhã desta sexta-feira (11)

Polícia Federal foi chamada pelo reitor durante tumulto

Polícia Federal foi chamada pelo reitor durante tumulto

Divulgação

Uma vistoria de dois deputados do PSL no colégio Dom Pedro II, campus de São Cristóvão, na zona norte do Rio de Janeiro, provocou uma confusão na instituição na manhã desta sexta-feira (11). 

Leia mais: Ao lado de Witzel, paciente "fake" inaugura ala de hospital no RJ

A reitoria do Pedro II acionou a Polícia Federal sob a alegação de que o deputado federal Daniel Silveira e o deputado estadual Rodrigo Amorim não tinham autorização para entrar na unidade de ensino.

Testemunhas disseram que, durante a visita acompanhada pelo reitor, os parlamentares fotografavam partes da escola que exibiam algum tipo de conteúdo com posicionamento político.

Em nota, a assessoria do deputado estadual Rodrigo Amorim afirmou que ele esteve no Colégio Pedro II para acompanhar uma solicitação feita ao deputado federal Daniel Silveira por diretoras da escola, que querem emendas orçamentárias para investimento em estrutura e logística.

Segundo assessoria de Amorim, a "má recepção" aos deputados resultará em uma representação contra o reitor do Colégio Pedro II no Ministério da Educação.

Ainda de acordo com a assessoria, a finalidade da visita, chamada de Cruzada pela Educação, é melhorar a segurança no entorno da instituição com objetivo de livrar os alunos de assédio de traficantes e usuários de drogas e, não de apurar doutrinação ideológica.

Já o Conif (Conselho Nacional das Instituições da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica) manifestou apoio ao Colégio Pedro II e repudiou "os constantes e generalizados ataques contra a autonomia das instituições públicas de ensino e contra os gestores, eleitos democraticamente e dedicados à promoção da educação pública, ética e cidadã."

O R7 tenta contato com a Polícia Federal e a assessoria do deputado Daniel Silveira. O espaço está aberto para manifestação das partes citadas no caso.