Rio de Janeiro Witzel anuncia liberação de recursos para recuperar estradas e pontes

Witzel anuncia liberação de recursos para recuperar estradas e pontes

Serão destinados cerca de R$ 120 milhões para obras emergenciais; população atingida também vai receber auxílio do governo 

  • Rio de Janeiro | Ana Beatriz Araújo, do R7*

Witzel anunciou auxílio para famílias atingidas pelos temporais

Witzel anunciou auxílio para famílias atingidas pelos temporais

Reprodução/Record TV Rio

O governador Wilson Witzel anunciou que o Governo do Estado vai liberar recursos para a recuperação de estradas e pontes danificadas pelas chuvas do último fim de semana, em coletiva que aconteceu na tarde de terça-feira (3) no Palácio Guanabara. Serão destinados cerca de R$ 120 milhões para, pelo menos, 20 obras emergenciais.

Polícia apreende R$ 2 milhões em bens de acusados de matar Marielle

Além disso, a população dos locais mais atingidos pelos temporais vai receber o cartão Recomeçar para a compra de materiais de construção e eletrodomésticos. Os valores são de R$ 5 mil para famílias desabrigadas e R$ 2 mil para as desalojadas.

De acordo com a Defesa Civil, cerca de 6.000 pessoas estão desabrigadas ou desalojadas por conta das chuvas no Rio de Janeiro. Os municípios mais afetados foram Magé, Mesquita, Rio Bonito, Seropédica e a zona oeste da capital. Cinco pessoas morreram durante o temporal do último final de semana.

Witzel anunciou ainda que vai disponibilizar uma ajuda de até R$ 500 para quem vive em municípios que decretaram estado de emergência ou de calamidade pública. A iniciativa faz parte do programa Aluguel Social que prevê auxílio para moradores que perderam suas casas em tragédias naturais.

Apelo ao Governo Federal

Wilson Witzel também fez um apelo ao Governo Federal para que a ajuda financeira aos locais afetados pelas chuvas seja liberada de maneira mais rápida. O Rio de Janeiro deve receber cerca de R$ 300 milhões para recuperar as cidades afetadas.

“Estamos nos credenciando para receber parte dos R$ 900 milhões, o que seria algo em torno de R$ 300 milhões. Espero que o processo de ajuda seja menos burocrático e mais rápido. É preciso ter mais agilidade porque as pessoas desabrigadas não podem esperar, nem as cidades que necessitam de reparos para o retorno ao dia a dia” - concluiu Witzel.

*Estagiária do R7, sob supervisão de PH Rosa 

Últimas