São Paulo Adolescente suspeito de matar universitário em assalto fará 18 anos nesta sexta-feira

Adolescente suspeito de matar universitário em assalto fará 18 anos nesta sexta-feira

Jovem foi levado para uma unidade da Fundação Casa e vai cumprir a pena como menor 

Adolescente suspeito de matar universitário em assalto fará 18 anos nesta sexta-feira

O adolescente de 17 anos suspeito de matar o estudante de Rádio e TV, Victor Hugo Deppman, de 19 anos, na noite da última terça-feira (9), em frente ao condomínio onde morava na zona leste de São Paulo, completa 18 anos nesta sexta-feira (12). No entanto, de acordo com André Pimentel, delegado titular do 81º DP, responsável pela prisão, o garoto vai cumprir a pena como menor de idade, pois o crime foi cometido quando ele ainda tinha 17 anos.

Dessa forma, o caso será registrado como ato infracional. O menor, que já está em uma unidade da Fundação Casa, poderá ficar na entidade por três anos, até completar os 21 anos. Após se entregar à polícia, o jovem foi ouvido por um promotor e um juiz e depois encaminhado para o regime socioeducativo.

Amigos de universitário morto em assalto fazem manifestação na avenida Paulista 

"Estou estraçalhada por dentro", diz mãe de vítima

Ainda segundo o delegado, equipes da Polícia Civil estão empenhadas em localizar a arma do crime para concluir o inquérito. Um revólver semelhante ao usado pelo adolescente foi apreendido na noite de quarta-feira (10) durante as buscas pelo criminoso na Comunidade Nelson Cruz, zona Leste de São Paulo, mas a relação com crime foi descartada posteriormente.

Leia mais notícias de São Paulo

Entenda o caso

O estudante universitário Victor Hugo Deppman, de 19 anos, foi morto durante assalto na frente do condomínio onde morava, no Belém, zona leste de São Paulo, na noite desta terça-feira (9). Imagens de câmeras de segurança mostraram o momento em que Victor foi morto por um homem. O rapaz foi atingido por um tiro na cabeça logo após entregar o celular.

Um adolescente de 17 anos se entregou à polícia e confessou ser o autor do assassinato. Ele pode ficar internado por um período de seis meses a três anos, no máximo.