São Paulo Agente da Defesa Civil tem perna decepada durante poda de árvore, na Grande SP

Agente da Defesa Civil tem perna decepada durante poda de árvore, na Grande SP

Parte do tronco caiu sobre as pernas de Uilson Pereira. Uma delas foi arrancada na hora, já a outra precisou ser amputada no hospital

  • São Paulo | Isabelle Amaral, do R7

Uilson Pereira Jesus, de 41 anos, se acidentou enquanto realizava a poda de árvore

Uilson Pereira Jesus, de 41 anos, se acidentou enquanto realizava a poda de árvore

Divulgação/Defesa Civil do Estado de São Paulo

Um agente da Defesa Civil teve a perna decepada durante a poda de uma árvore na Estrada da Pedreira, na região de Potuvera, em Itapecerica da Serra, na Grande São Paulo, por volta das 14h de quarta-feira (9).

Uilson Jesus Pereira, de 41 anos, realizava o trabalho quando parte da árvore caiu sobre suas pernas. Segundo o Corpo de Bombeiros, uma delas foi decepada na hora e a outra teve lesões graves.

A equipe da corporação, com auxílio de um helicóptero da Polícia Militar, socorreram o agente a um hospital, onde ele precisou passar por cirurgia. Devido aos ferimentos, a outra perna também precisou ser amputada.

A Defesa Civil do Estado de São Paulo emitiu uma nota lamentando o ocorrido. "Esse terrível acidente aconteceu durante o desempenho de sua missão. O senhor Uilson, assim como outros quase cinco mil agentes da Defesa Civil, atendem a inúmeros chamados diários em todos os municípios paulistas", escreveu.

O órgão ressaltou, ainda, que Uilson se acidentou ao fazer um trabalho para tentar prevenir acidentes futuros com aquela árvore, "porém, a vítima foi ele".

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

"Agentes como o senhor Wilson saem todos os dias de suas casas dispostos a atender todo tipo de ocorrência. São chamados para queda de árvore, captura de animais silvestres, enxame de abelhas, fogo em mata, alagamentos, enxurradas, deslizamentos de terra, altas temperaturas, frio extremo e socorro às pessoas mais vulneráveis. Fazem isso pelo espírito da vocação. Compreendem a importância de seu labor e enxergam em seu trabalho a proteção das pessoas", enfatizou.

A Defesa Civil ainda informou que está prestando apoio ao funcionário e torce para que ele se recupere logo.

'Carinhoso e solícito': saiba quem era o empresário do ramo de motor homes morto em acidente

Últimas