São Paulo Alckmin defende ação policial que acabou com dez mortos no Morumbi

Alckmin defende ação policial que acabou com dez mortos no Morumbi

Quadrilha de roubo a casas era investigada; nenhum policial foi baleado

Alckmin defende ação de polícia que acabou com dez suspeitos mortos

Todos os ocupantes do Santa Fé foram mortos no local

Todos os ocupantes do Santa Fé foram mortos no local

Divulgação

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, defendeu a ação policial realizada neste domingo (3), que acabou com a morte de dez suspeitos de roubar uma casa na região do Morumbi, na zona sul da capital.

Questionado se havia alguma suspeita de irregularidade na ação, o governador afirmou:

— Não há nenhuma informação a esse respeito. Quem está de fuzil não está querendo conversar. Eram criminosos fortemente armados, com munição que não pode ser utilizada [munições de uso restrito], colete balístico.

O tucano participou de um fórum entre empresários e governantes sobre os rumos da política, e comentou o caso durante entrevista coletiva. Para ele, o trabalho foi excelente, pois teria sido rápido e acompanhado de um trabalho de inteligência.

— O Deic [Departamento Estadual de Investigações Criminais, da Polícia Civil], o setor de inteligência da Polícia Civil, vem há vários meses fazendo uma investigação. [Nesse caso,] teve um papel muito importante o Detecta [sistema de monitoramento por câmeras]. [...] A polícia, com esse trabalho de inteligência, monitorou [a quadrilha] e fez a intervenção.

Ele também ressaltou que nem vítimas do assalto que ocorria no Morumbi, nem policiais foram baleados.

— Graças a Deus não tivemos nenhuma vítima atingida, nem policiais.

Quatro fuzis estão entre as armas apreendidas pelos suspeitos mortos

Quatro fuzis estão entre as armas apreendidas pelos suspeitos mortos

Reprodução

Dez suspeitos mortos

A Polícia Civil monitorava o grupo havia cerca de sete meses. No domingo (3), após seis horas de procura, delegados e agentes do Deic e do Garra (Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos) abordaram os suspeitos em uma casa na rua Puréus.

Os dez tentaram fugir em dois carros, um Fiat Toro e um Hyunday Santa Fé. Este último bateu em um poste e todos os cinco ocupante foram mortos no local, próximo à casa que era alvo do roubo.

O Toro se chocou contra um carro da Polícia Civil. Dois dos suspeitos fugiram a pé, enquanto os três que permaneceram teriam aberto fogo contra os agentes, segundo o BO.

Os três foram mortos no local, enquanto os dois que fugiram foram perseguidos e mortos a poucos metros. Nenhum suspeito foi preso e nenhum policial foi baleado na ação.