São Paulo Aluno suspenso por brincadeira com melancia defende escola

Aluno suspenso por brincadeira com melancia defende escola

Mãe e adolescente gravaram vídeo para defender unidade de ensino, acusada de ter punido aluno apenas por dividir alimento

  • São Paulo | Do R7

Aluno disse que enviou foto do bilhete de punição a amigo, que divulgou nas redes sociais

Aluno disse que enviou foto do bilhete de punição a amigo, que divulgou nas redes sociais

Divulgação/ Instagram - 18/03/2022

O aluno que foi suspenso por brincar com uma melancia na sala de aula do Colégio Fereguetti, zona leste de São Paulo, gravou um vídeo nas redes sociais para defender a escola e justificar a punição. Junto da mãe, ele disse que a brincadeira foi de "mau gosto" e pediu desculpas pela repercussão do episódio.

"Tomei uma suspensão, mas não por causa de dividir a melancia. (...) A gente está no meio da pandemia e dividiu uma melancia indevida, não podia ter acontecido isso. Teve gente que colocou a melancia na cabeça, fez de basquete, jogaram na pia, danificaram o banheiro", diz o estudante, que se identificou como Henry, junto da mãe, Luciane. 

"A advertência não foi por conta do alimento e sim por conta da baderna causada com esse alimento dentro do colégio. Estou aqui para pedir que não dê enfâse a um assunto que não é real. É uma mentira. Meu filho estuda no colégio há 14 anos por uma opção nossa", completa a mãe. 

O jovem ainda afirmou que compartilhou o documento da escola que anunciava a suspensão com um amigo, que teria colocado a foto do papel nas redes sociais. "O aluno acima foi suspenso por 1 dia (um) por trazer uma melancia inteira e compartilhar com muitos alunos no intervalo e sala de aula, gerando tumulto e desordem", anunciava o pedido.

O bilhete da escola sobre a punição foi divulgado, viralizou nas redes sociais e a escola passou a ser alvo de ataques por supostamente ter punido um aluno apenas pelo fato de ele dividir alimento com os alunos. Em nota divulgada nesta sexta-feira (18), o Colégio Fereguetti afirmou que "inverdades" foram publicadas sobre a brincadeira do adolescente.

Últimas