São Paulo Após briga, marido mata mulher a facadas em São Paulo e foge

Após briga, marido mata mulher a facadas em São Paulo e foge

Homem ligou para sogra dizendo que tinha "feito uma besteira". Karen Aparecida foi encontrada no apartamento já sem vida

  • São Paulo | Letícia Assis, da Agência Record

Karen foi assassinada em um apartamento na rua Lavapés, no centro de SP

Karen foi assassinada em um apartamento na rua Lavapés, no centro de SP

Google Street View - 20.09.2021

Uma mulher, identificada como Karen Aparecida Violante de Prado, foi morta a facadas após uma briga com o marido na rua do Lavapés, no Cambuci, no centro de São Paulo, na madrugada deste sábado (18). O suspeito fugiu e, até o momento, não foi localizado.

De acordo com a Polícia Militar, o casal teria brigado dentro de seu apartamento, quando em determinado momento, o marido, de 36 anos, esfaqueou a esposa, de 31.

Segundo informações do Boletim de Ocorrência, a mãe da vítima acionou a Polícia Militar ao endereço, depois que o homem ligou para a sogra informando que o casal havia brigado e ele tinha "feito uma besteira".

A polícia se deslocou ao endereço, e ao chegar no apartamento, ninguém atendeu a porta. O irmão de Karen cogitou que o casal poderia estar em sua residência antiga, porém nada foi constatado.

As equipes, então, decidiram arrombar a porta do apartamento, encontrando Karen no chão de um dos cômodos da casa, seminua e com diversas perfurações de faca por todo o corpo.

O óbito da mulher foi constatado no local. Segundo a polícia, o corpo foi encaminhado ao IML (Insituto Médico Legal) Central.

No intuito de saberem sobre o paradeiro do suspeito, a polícia fez buscas pela placa do veículo do agressor, informada pelo porteiro do prédio, e foi constatado na última atualização que o carro já estava pela Rodovia Castello Branco.

Durante perícia no local, o porteiro relatou que o casal chegou por volta das 17h40 trazendo caixas de mudança, e que por volta das 21h30, o homem saiu do prédio em seu carro, com os vidros fechados e em alta velocidade.

A síndica do condomínio informou à Polícia Civil que, pelo prédio ser novo, as câmeras de segurança do local ainda não foram devidamente instaladas.

O padrasto de Karen disse à polícia que o casal estaria se separando, porém ainda conviviam juntos e se mudariam nesta sexta-feira (17) para o prédio no centro de São Paulo. O homem, segundo o padrasto, não estaria aceitando bem o término do casal.

Em contato com a advogada da vítima, que preferiu não ser identificada, Karen relatou à ela que vivia em um relacionamento conturbado com o marido e que estava em processo de divórcio.

Elas conversaram nesta quinta-feira (16) por telefone, com a intenção de se encontrarem na semana seguinte, para que a vítima relatasse com mais detalhes sobre a separação.

A advogada também informou que o casal teria uma filha, de aproximadamente 10 anos. O caso foi registrado como feminicídio no 8° Distrito Policial.

Últimas