São Paulo Assalto em Araçatuba (SP): 'parecia zona de guerra', diz testemunha

Assalto em Araçatuba (SP): 'parecia zona de guerra', diz testemunha

Quadrilha fez moradores reféns e espalhou explosivos pelas ruas - um deles atingiu um ciclista, que teve a perna amputada

Agência Estado
Ataque a bancos em Araçatuba

Ataque a bancos em Araçatuba

Reprodução

O ataque a agências bancárias no centro de Araçatuba deixou três mortos e levou pânico à cidade do interior paulista na madrugada desta segunda-feira (30). Durante a ação, a quadrilha fez moradores reféns e espalhou explosivos pelas ruas — um deles atingiu um morador, que passava pelo local de bicicleta, e teve a perna amputada.

O designer gráfico Amylton Quirino de Oliveira, de 50 anos, está hospedado em Araçatuba e relata ter começado a ouvir tiros contínuos a partir da meia-noite. Mais tarde, passou a ouvir também explosões muito fortes. Da janela de seu hotel, no centro, ele diz ter visto um caminhão incendiado para impedir o trânsito, carros passando em alta velocidade e pessoas correndo. "O som das bombas explodindo era muito forte. Parecia uma zona de guerra", conta ele, que é da capital paulista.

Oliveira, que está na cidade há mais de 30 dias, diz ter estranhado o movimento atípico e a presença de ‘fogos de artifício’ na madrugada, antes de perceber que se tratava de tiroteio.

Nesta segunda-feira, afirma, todas as atividades e estabelecimentos do centro da cidade estão suspensos, incluindo comércio, escolas e transporte público. A polícia também isolou vias e pediu para que a população não saia de casa. “Várias ruas estão fechadas, estou ilhado no hotel”.

Com o objetivo de isolar a cidade, os bandidos incendiaram veículos em pontes de acesso, em uma praça do pedágio e também no centro do município. Por causa do espalhamento de explosivos pelas ruas, as autoridades recomendam não sair de casa ou comunicar à polícia sobre qualquer artefato estranho.

Segundo o capitão Alexandre Guedes, do comando da Polícia Militar paulista, uma das vítimas é um morador. Ele havia deixado a mulher no trabalho e voltou para a região central, onde ficam as agências, para filmar a ação dos criminosos. Ele foi morto a tiros pelos bandidos. Outro dos mortos é um suspeito, que teria resistido à abordagem dos policiais na zona rural. O terceiro seria um dos criminosos.

Últimas