São Paulo Babá é flagrada agredindo criança de três anos no interior de SP

Babá é flagrada agredindo criança de três anos no interior de SP

Agressões foram filmadas por uma câmera escondida instalada pelos pais da menina. Depois de denúncia, suspeita foi ouvida e liberada

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Mulher agrediu a criança, que estava chorando, com um chinelo

Mulher agrediu a criança, que estava chorando, com um chinelo

Reprodução/Record TV

Uma babá foi flagrada agredindo uma criança de três anos, no interior de São Paulo. As agressões foram flagradas por uma câmera escondida instalada pelos pais da menina.

Leia também: Mulher é encontrada morta dentro de casa em Guarulhos

A câmera foi colocada quando os pais desconfiaram do comportamento da filha, que tinha começado a ficar sob os cuidados da babá. 

Após assistir as gravações, a mãe levou o material para a delegacia e fez a denúncia. A suspeita foi conduzida até o local, ouvida e liberada. Agora o caso será encaminhado para a DDM (Delegacia de Defesa da Mulher).

Nas imagens é possível ver o momento em que a mulher agride a menina, que estava chorando, com um chinelo e, em seguida, a deixa sozinha no quarto. Alguns minutos depois, como a criança continua chorando, a babá volta e as agressões recomeçam.

Leia também: Homem é baleado durante tentativa de assalto em São Paulo

"Ela [vítima] chora muito, sem motivo. Ela sai correndo de mim e do pai. A gente não pode falar não para ela que ela se encolhe. Ela não suporta ver portas fechadas", conta a mãe da menina. 

A família conheceu a babá em uma igreja. Como a mulher estava desempregada, foi morar com eles e passou a cuidar da criança enquanto a mãe trabalhava. 

Segundo o delegado responsável, a babá admitiu ter agredido a criança e se mostrou arrependida. "Ela disse que devia muitos favores à mãe da vítima e que, realmente, ela errou", conta. 

Leia também: SP: Bandidos em moto fazem série de assaltos no Morumbi

Por enquanto, no boletim de ocorrência registrado pelo delegado consta apenas a acusação de "vias de fato". Com o encaminhamento para a DDM, provavelmente, a tipificação será alterada para lesão corporal ou até tortura, visto as sequelas psicológicas na criança. 

Últimas