São Paulo Bailes funk não acontecem em SP para evitar propagação de covid-19

Bailes funk não acontecem em SP para evitar propagação de covid-19

Pancadões realizados em comunidades, principalmente na capital paulista e Baixada Santistas, não aconteceram neste final de semana

  • São Paulo | Kaique Dalapola, do R7

Bailes de rua foram cancelados por causa do coronavírus

Bailes de rua foram cancelados por causa do coronavírus

Reprodução/Facebook

Bailes funk de ruas que costumam acontecer aos finais de semana em diversas comunidades paulistas, sobretudo na Baixada Santista e capital, foram suspensas para evitar a propagação do novo coronavírus.

Artistas e organizadores afirmam que a ordem é suspender as festas das favelas e comunidades e determinam que as pessoas fiquem em casa, sem correr risco de serem contaminados pela covid-19.

Os bailes, apontados por autoridades como eventos promovidos por traficantes de drogas, costumam reunir milhares de jovens e são o único meio de sustentos de artistas como o MC Danilo Boladão. 

Há mais de duas décadas cantando em bailes de favelas aos finais de semana, Danilo está desde o dia 21 de março sem sair de casa para se apresentar. “Isso é necessário no momento, ainda mais porque tenho diabetes, e essa é uma precaução necessária para toda população”, conta.

Danilo lamenta que tenha ficado “temporariamente desempregado”, e afirma que começou a encontrar dificuldades para sobreviver em meio à luta contra a pandemia. “Estou pedindo ajuda, pois não tinha nenhuma reserva de dinheiro”, diz. Mesmo assim, ressalta a importância de não sair às ruas: “só saio para o mercado quando não tem outro jeito”.

Mesmo a Polícia Militar, que afirma estar "preparada para atuar em locais onde haja a organização de bailes funk e pancadões", não registrou operações nesses eventos durante o último final de semana.

Segundo a instituição, por causa da pandemia "a Polícia Militar tem direcionado o efetivo para auxiliar a população em ações humanitárias que visam combater o avanço do contágio, orientando as pessoas a adotarem práticas de higiene e recomendando aos que podem para que fiquem em isolamento".

Últimas