São Paulo Banco de Sangue de SP alerta para colapso no abastecimento de hospitais

Banco de Sangue de SP alerta para colapso no abastecimento de hospitais

Transfusões de sangue neste mês estão 30% maiores em relação a fevereiro de 2021; doações de sangue estão 18% abaixo do mínimo

  • São Paulo | Do R7

Médica adverte que queda em doações de sangue pode gerar colapso em banco

Médica adverte que queda em doações de sangue pode gerar colapso em banco

Marcelo Camargo/Agência Brasil

Apesar dos constantes apelos e alertas convocando doadores, por meio das redes sociais, os bancos de sangue no país continuam enfrentando queda acentuada em seus estoques, e estão sob risco de comprometer o abastecimento dos hospitais que atendem pacientes internados em diversos tratamentos e que necessitam de transfusões de sangue.

De acordo com o Banco de Sangue de São Paulo, em comparação com o mesmo período do ano passado, a demanda por transfusões de sangue aumentou 30%. “Nossos estoques neste momento estão 54% abaixo do ideal e as doações de sangue estão 18% abaixo do mínimo ideal", explica Ana Carrijo, médica hemoterapeuta e gerente da unidade. "Precisamos de 180 coletas por dia para equilibrar esse índice, o que não vem ocorrendo há muitos dias. Se esse cenário se estender por muito tempo pode haver um colapso.” 

Com o aumento dos casos de Covid-19 pela variante Ômicron e da gripe influenza, há muitos doadores que se contaminaram e tiveram que se afastar. E há ainda as pessoas que não contraíram as doenças, mas que ficam receosas em doar sangue neste momento.

A médica informa que o Ministério da Saúde estabeleceu um novo protocolo de aptidão de doação para quem teve Covid, e reduziu o prazo de 30 para dez dias após o período de recuperação completa da doença.

“Essa informação é importante, pois o tempo de inaptidão para quem teve Covid agora é menor, de apenas dez dias. Isso é um fator positivo que poderá mobilizar mais pessoas, pois precisamos que esses doadores retornem o quanto antes”, ressalta ela, que lembra que uma única doação pode salvar até quatro vidas.

Outro aspecto que tem influenciado na queda das doações é a desinformação das pessoas sobre o período de inaptidão em relação às vacinas. Segundo a médica, muitas pessoas acreditam que, ao se vacinarem, precisam esperar um tempo maior do que o necessário para doarem sangue.

“Os doadores que recebem o imunizante contra o coronavírus se tornam inabilitados a doarem sangue por um período curto: CoronaVac são 48 horas, Astrazeneca, Pfizer e Janssen são sete dias. Por isso, é importante que eles estejam atentos a esse prazo e façam a sua doação antes ou depois de se vacinarem”, enfatiza a médica.

O Banco de Sangue de São Paulo informa que o ato de doar sangue é totalmente seguro e que a instituição tem o selo “Covid Free de Excelência”, por manter as melhores práticas de prevenção e enfrentamento à pandemia de coronavírus.

A instituição atende os doadores diariamente, das 7h às 18h, inclusive aos domingos e feriados, na Rua Tomás Carvalhal, 711, no bairro Paraíso.

Requisitos básicos para doação de sangue:

• Apresentar um documento oficial com foto (RG, CNH, etc.) em bom estado de conservação;

• Ter idade entre 16 e 69 anos desde que a primeira doação seja realizada até os 60 anos (menores de idade precisam de autorização e presença dos pais no momento da doação);

• Não é permitido realizar doação acompanhado de menores de 12 anos (exceto se o menor estiver acompanhado de dois adultos, sendo necessário o revezamento dos mesmos enquanto acontece a doação);

• Estar em boas condições de saúde, se sentindo bem, sem nenhum sintoma;

• Pesar no mínimo 50 kg e ter dormido ao menos seis horas na última noite;

• Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;

• Após o almoço ou ingestão de alimentos gordurosos, aguardar três horas. Não é necessário estar em jejum desde que evite alimentos gordurosos;

• Se fez tatuagem e/ou piercing, aguardar 12 meses. Exceto para região genital e língua (12 meses após a retirada);

• Em caso de diabetes, deverá estar controlada e não fazer uso de insulina;

• Se passou por endoscopia ou procedimento endoscópico, aguardar seis meses;

• Não ter tido doença de Chagas;

• Não ter tido infecções sexualmente transmissíveis (IST);

• Candidatos que apresentaram sintomas de gripe e/ou resfriado devem aguardar dez dias após cessarem os sintomas e o uso das medicações;

• Aguardar 48 horas para doar caso tenha tomado a vacina da gripe, desde que não esteja com nenhum sintoma;

• Candidatos que viajaram para o exterior devem entrar em contato com o Banco de Sangue para entender o período que não pode doar (varia de país a país).

Critérios específicos para o coronavírus:

undefined

- Pessoas com diagnóstico ou suspeita de Covid deverão aguardar dez dias após completa recuperação e sem o uso de medicamentos;

- Pessoas com teste positivo para Covid sem sintomas deverão aguardar dez dias após a data da coleta do exame;

- Se teve contato com paciente positivo ou com suspeita de Covid-19 e/ou realizou isolamento voluntário ou por orientação médica aguardar dez dias após o último contato/término do isolamento;

- Aguardar 48 horas caso tenha tomado a vacina CoronaVac/Sinovac e sete dias caso tenha tomado a Astrazeneca, Pfizer ou Janssen.

Últimas