São Paulo 'Bonde da Rapunzel': polícia prende mais quatro integrantes em SP

'Bonde da Rapunzel': polícia prende mais quatro integrantes em SP

Investigação da polícia apura se facção do Nordeste agiria com o PCC para transportar drogas em portos de Santos e da Bahia

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Grupo, que atua no Nordeste, é liderado por mulher conhecida como Rapunzel

Grupo, que atua no Nordeste, é liderado por mulher conhecida como Rapunzel

Reprodução Record TV / 27.07.2022

A Polícia Civil de São Paulo prendeu mais quatro integrantes do "Bonde da Rapunzel". Os homens, acusados de extorsão mediante sequestro, foram reconhecidos pelas vítimas, segundo a polícia. A líder do grupo, conhecida como Rapunzel pelos cabelos longos, havia sido presa com o namorado na quarta-feira (13) ao tentar furar uma blitz da polícia. 

De acordo com informações da Record TV, os homens presos são membros de uma facção do Nordeste que estaria agindo em parceria com o PCC (Primeiro Comando da Capital), a maior organização criminosa que atua dentro e fora dos presídios de São Paulo.

Na quarta-feira (13), seis pessoas foram presas em um estacionamento do bairro de Socorro, na zona sul de São Paulo. Entre os detidos estavam o chefe, conhecido como Pablo Amarelo, e a traficante apelidada de 'Rapunzel sem Tranças'.

No primeiro momento, a polícia acreditava que o grupo buscava rivalizar com o PCC no Nordeste do país para alcançar o controle do tráfico de drogas na região. 

De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil Osvaldo Nico, os integrantes da facção estão em São Paulo para praticar sequestros e traficar drogas. A polícia quer descobrir o que a facção nordestina faz na capital paulista, o motivo dos encontros e as ações criminosas que estavam sendo planejadas no bairro da zona sul de São Paulo.

Uma das linhas de investigação apura se a facção do Nordeste e o PCC estariam operando em conjunto para enviar drogas do porto de Santos, no litoral de São Paulo, para o porto da Bahia. Segundo Nico, os membros da organização do Nordeste são procurados por crimes de maior gravidade.

Últimas