São Paulo Cachorra morta foi agredida com barra de alumínio pontiaguda

Cachorra morta foi agredida com barra de alumínio pontiaguda

Caso aconteceu no último dia 28 no supermercado Carrefour de Osasco. Animal foi vítima de maus-tratos por um segurança terceirizado da unidade

Cachorra morta em Osasco

Barra de alumínio utilizada para agredir a cachorra que frequentava o Carrefour de Osasco

Barra de alumínio utilizada para agredir a cachorra que frequentava o Carrefour de Osasco

Reprodução

Uma barra de alumínio pontiaguda foi o instrumento usado por um segurança terceirizado do supermercado Carrefour, de Osasco, na região metropolitana de São Paulo, para agredir no último dia 28 uma cachorra vira-lata que frequentava o local. O animal não resistiu aos maus-tratos e morreu no mesmo dia.

Imagens do circuito interno de segurança do supermercado mostram um segurança afastando o animal da entrada da unidade. Em seguida, é possível vê-lo com a barra de alumínio em mãos perseguindo a cachorra.

"As imagens mostram o segurança com a barra de alumínio na mão. A cachorrinha passa atrás do carro. Ele vai atrás e acaba desferindo os golpes contra ela", contou ao R7 o vereador Ralfi Silva (Podemos), presidente da Frente Parlamentar de Defesa e Proteção Animal da Câmara de Vereadores de Osasco.

A cachorra volta a aparecer instantes depois, já sangrando e buscando refúgio dentro da galeria de lojas do centro comercial. Após esse momento, testemunhas chamam o centro de zoonoses do município para resgatar o animal.

Em suas redes sociais, o vereador publicou uma imagem do instrumento utilizado para agredir o animal. Ele esteve ontem na DIICMA (Delegacia de Investigações sobre Infrações Contra o Meio Ambiente), que instaurou inquérito no domingo (2) para apurar o caso.

O agressor já foi identificado, mas ainda não compareceu à delegacia. O R7 buscou contato nesta quarta com a delegada Silvia Fagundes Theodoro, responsável pela investigação, mas ela não atendeu ao pedido de entrevista. Nesta terça, em comentário divulgado nas redes sociais da ativista Luísa Mell, a delegada afirmou que "não tem mais dúvidas" sobre a autoria do crime.

"A agressão ficou comprovada com essas imagens, não tem mais dúvidas. Esse segurança realmente agrediu o cachorro", disse ela, que prometeu apurar "toda a responsabilidade dos demais envolvidos".

O vereador Ralfi Silva, que acompanha o caso, afirmou que o agressor prometeu se apresentar até esta quinta-feira. Ele será enquadrado no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, que pune quem pratica abusos a animais. Esse crime prevê pena de prisão de três meses a um ano, além de multa. O agressor não irá para a prisão e deverá ser punido com o pagamento de cestas básicas e prestação de serviços a comunidade.

Vômito com sangue

Segundo a prefeitura de Osasco, o atendimento do centro de zoonoses da prefeitura ocorreu às 10h da manhã do último dia 28, cerca de 36 minutos após receber a chamada para "cachorro ferido e sangrando".

O animal deu entrada no serviço de emergência com anemia, pressão baixa, temperatura corporal muito baixa, vômito com sangue e escoriações múltiplas. "Apesar do tratamento instituído, o animal veio a óbito", informou o município nesta terça-feira (4).

Inicialmente, o centro de zoonoses imaginava se tratar de um caso de atropelamento, o que levou à cremação do animal. Somente no sábado (1º), segundo nota da prefeitura, o Departamento de Fauna em Bem Estar Animal "passou a receber informações que se tratava de um caso de maus tratos e foi iniciado a apuração do caso com solicitação de inquérito policial", que foi instaurado no dia seguinte, domingo (2). "Somente o inquérito poderá indicar as causas da morte e a quem cabe a responsabilidade", diz a prefeitura.

Veja imagens do resgate:

Em nota divulgada nesta terça, o Carrefour informou que esta triste com a morte do animal e que "não vai se eximir de sua responsabilidade". Leia o posicionamento:

"O Carrefour reconhece que um grave problema ocorreu em nossa loja de Osasco. A empresa não vai se eximir de sua responsabilidade. Estamos tristes com a morte desse animal. Somos os maiores interessados para que todos os fatos sejam esclarecidos. Por isso, aguardamos que as autoridades concluam rapidamente as investigações. Desde o início da apuração, o funcionário de empresa terceirizada foi afastado. Qualquer que seja a conclusão do inquérito, estamos inteiramente comprometidos em dar uma resposta a todos. Queremos informar também que estamos recebendo sugestões de várias entidades e ONGs ligadas à causa que vão nos auxiliar na construção de uma nova política para a proteção e defesa dos animais. Carrefour Brasil".

    Access log