São Paulo Carrinho de mão, fio e balde: polícia investiga morte de mulher de 24 anos em terreno baldio de SP

Carrinho de mão, fio e balde: polícia investiga morte de mulher de 24 anos em terreno baldio de SP

Beatriz teria passagem pela polícia e morava a 600 metros de distância do local em que foi encontrada, com sinais de violência

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Caso Beatriz: corpo de mulher de 24 anos é encontrado perto de balde, carrinho de mão e fio

Caso Beatriz: corpo de mulher de 24 anos é encontrado perto de balde, carrinho de mão e fio

Reprodução Record TV

Um carrinho de mão, um balde com manchas escuras e um fio preto abandonados em uma região de mata. Esses são os indícios que a polícia investiga para desvendar o mistério em torno da morte de Beatriz, uma mulher de 24 anos, encontrada com sinais de violência em um terreno baldio em Pirituba, na zona norte de São Paulo, na noite desta terça-feira (29).

Segundo informações obtidas pela Record TV, o carrinho de mão e o balde podem ter sido utilizados para transportar o corpo de Beatriz. O fio preto pode ter sido usado para amarrar o corpo ao balde e ao carrinho. Além desses indícios, o portão de entrada à região estava estourado.

O corpo de Beatriz foi encontrado dentro do balde. Segundo a polícia, ela passava pelo local diariamente para se deslocar para a comunidade do Cantagalo, região que pertence ao bairro de Pirituba. Sua casa estaria situada a cerca de 600 metros do local em que seu corpo foi achado. Beatriz costumava pegar ônibus na região, segundo a polícia. 

Outra informação levantada pelos investigadores é que a vítima tem passagens pela polícia. Os familiares de Beatriz serão ouvidos pelo Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). 

O corpo teria sido encontrado pela polícia enrolado em um saco plástico por volta das 21h30 da terça-feira. A suspeita é que a jovem tenha sido assassinada, atingida por golpes no pescoço, e jogada no terreno baldio. A polícia, contudo, não descarta a possibilidade de violência sexual. 

Os moradores chegaram a perceber uma movimentação na região durante a noite. Vizinhos podem ajudar no trabalho de investigação da Polícia Civil com o fornecimento de imagens de câmeras de segurança. A irmã de Beatriz reconheceu o corpo. 

Os policiais à frente da investigação terão acesso ao telefone celular da vítima para coletar provas e eventuais indícios de autoria. Os moradores do bairro afirmaram ser uma região perigosa. Beatriz teria desaparecido no domingo (27).

Últimas