São Paulo Casal provoca confusão ao tentar embarcar com coelho em voo

Casal provoca confusão ao tentar embarcar com coelho em voo

Vídeo mostra briga entre funcionários de companhia aérea e passageiros no aeroporto de Guarulhos, em SP

  • São Paulo | Letícia Dauer, da Agência Record

Casal e funcionários trocaram agressões

Casal e funcionários trocaram agressões

Reprodução/redes sociais

Um casal provocou confusão ao tentar embarcar com coelho de estimação em voo internacional no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo, na última quinta-feira (18).

Um vídeo, que circula nas redes sociais, registrou os passageiros discutindo e xingando funcionários da companhia aérea KLM. Nas imagens, o casal afirma que possui a liminar necessária para o embarque do animal na cabine do avião.

"Ao contrário de cães e gatos, animais roedores não podem ser transportados na cabine da aeronave por razões de segurança {...} Devido a um equívoco interno da companhia, o transporte excepcional do animal na cabine da aeronave, com base em uma decisão judicial, não foi comunicado à tripulação do voo com antecedência", afirmou a assessoria de imprensa da KLM por nota.

Após intensa discussão, os passageiros, funcionários da companhia e seguranças chegam a trocar agressões físicas no saguão do aeroporto.

Segundo a KLM, o casal perdeu o voo ontem, mas conseguiu embarcar nesta sexta-feira (19).

Veja a nota da companhia KLM:

Ao contrário de cães e gatos, animais roedores não podem ser transportados na cabine da aeronave por razões de segurança, motivo pelo qual os passageiros não puderam embarcar no voo da KLM desta quinta-feira (18/11) em São Paulo com seu coelho. Devido a um equívoco interno da companhia, o transporte excepcional do animal na cabine da aeronave, com base em uma decisão judicial, não foi comunicado à tripulação do voo com antecedência. A KLM lamenta profundamente que a situação tenha escalado para um desentendimento no local de embarque. A companhia condena qualquer tipo de comportamento violento de passageiros e colaboradores, e uma investigação está em andamento para entender os fatos."

Últimas