São Paulo Casos de Covid-19 crescem em escolas estaduais e chegam a 943, diz sindicato

Casos de Covid-19 crescem em escolas estaduais e chegam a 943, diz sindicato

Maior número se concentra na E.E Oscavo de Paula e Silva, em Santo André, com 10 professores, 14 alunos e uma funcionária

  • São Paulo | Do R7

Balanço é feito a partir de informações coletadas junto às 94 subsedes

Balanço é feito a partir de informações coletadas junto às 94 subsedes

Reprodução / Freepik

O Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo) divulgou nesta terça-feira (7) um levantamento que aponta para um aumento no número de casos de Covid-19 em escolas públicas estaduais de São Paulo. O resultado mostra um total de 943 casos em 133 instituições de ensino, entre 11 de maio e hoje.

O maior número de diagnosticados está nas escolas do município de Santo André. A Escola Estadual Oscavo de Paula e Silva, contabilizou 25 pessoas infectadas, sendo oito professores, duas professoras, 14 alunos e uma funcionária. Com 20 contaminados, está a Escola Estadual Celso Gama — as vítimas são um professor, dez alunos e nove professoras.

Em relação aos números totais, 93 casos são indeterminados (não discriminados entre professores, funcionários e alunos); 487 professores(as); 49 funcionários (as); 293 estudantes. Em comparação ao levantamento realizado na segunda-feira (6), foram 43 novos casos identificados nas últimas 24 horas.

As escolas localizadas nos municípios paulistas de Sorocaba, Araraquara, Osasco, Carapicuíba, Ribeirão Pires, São Bernardo do Campo e Piracicaba também aparecem nas listas com números superiores a dez pessoas infectadas.

O balanço é feito a partir de informações coletadas junto às 94 subsedes da entidade espalhadas em diferentes cidades do estado.

O sindicato pediu uma reunião com a secretária estadual da Educação, Renilda Peres de Lima, para cobrar o restabelecimento de todos os protocolos sanitários nas escolas. De acordo com a entidade, nenhuma reunião ocorreu entre a organização sindical e o governo, assim como o poder público ainda não apresentou providências para conter a disseminação do novo coronavírus nas unidades escolares.

Na sexta-feira (3), a Apeoesp realizou assembleia da categoria e reforçou a urgência de o governo estadual tomar medidas efetivas de prevenção.

Últimas