São Paulo Casos de estelionato sentimental crescem mais de 500% em SP

Casos de estelionato sentimental crescem mais de 500% em SP

Aumento foi registrado no primeiro semestre deste ano na comparação com o mesmo período de 2019. Uma das vítimas chegou a perder R$ 500 mil

  • São Paulo | Do R7, com informações da Record TV

Em SP, casos estelionato sentimental cresceram mais de 500% no primeiro semestre de 2020

Em SP, casos estelionato sentimental cresceram mais de 500% no primeiro semestre de 2020

Reprodução/Record TV

Uma mulher de 50 anos perdeu cerca de R$ 500 mil ao ser vítima de uma estelionato sentimental. A fraude envolve o uso de aplicativos de mensagens e de relacionamento. Só no estado de São Paulo, este tipo de golpe cresceram  508,9% em comparação ao primeiro semestre do ano passado, segundo dados obtidos pela Lei de Acesso à Informação.

Divorciada e desempregada, a vítima acreditou em um novo relacionamento. Em um aplicativo de encontros, o homem se apresentou como um piloto americano. Ela não demorou para receber juras de amor e promessas de uma vida juntos no Brasil.

Ao longo de sete meses de relacionamento virtual, os pedidos de depósitos eram constantes. O homem pediu endereço e telefone para mandar de presente perfumes e joias, conta a vítima.

Depois, o homem disse que foi preso quando tentava entrar no Brasil para vê-la e que precisava pagar fiança. O valor que estaria sendo cobrado pela Polícia Federal era de R$ 162 mil.

Foram realizados mais de dez depósitos em diferentes contas, totalizando R$ 500 mil. O aparente romance virou caso de polícia quando a vítima procurou um advogado para ajudar a soltar o suposto namorado. Aí ela foi alertada de era um golpe e que ela foi mais uma vítima do chamado estelionato sentimental.

O golpe é comum e faz das mulheres as principais vítimas. Para o delegado Higo Jorge, especializado em crimes cibernéticos, o dinheiro é usado para financiar organizações criminosas. "Não é comum pessoas que praticam esses crime sozinhas. Muitas vezes esses recursos são direcionados a essas organizações que possuem esse objetivo, de obter dinheiro de vítimas que muitas vezes passam por um problema de carência emocional", afirma.

Quem foi enganada diz que a dor supera o prejuízo financeiro. A vítima faz um alerta. “Quando começar a te enviar um presente, cai fora (...) me empresta mil, nós vamos ser felizes. É tudo mentira.”

Últimas