São Paulo Chefe do esquema de fraudes do Detran de São Paulo se apresenta à polícia, mas é liberada

Chefe do esquema de fraudes do Detran de São Paulo se apresenta à polícia, mas é liberada

Segundo polícia, mulher aliciava funcionários para ceder senhas para ter acesso ao sistema interno que desbloqueia multas

  • São Paulo | Laura Lourenço, da Agência Record

Chefe do esquema de fraudes do Detran-SP se apresenta à polícia, mas é liberada

Chefe do esquema de fraudes do Detran-SP se apresenta à polícia, mas é liberada

Rafael Ferraz / Record TV

Após investigação, a Polícia Civil concluiu que a mulher, que era alvo da Operação Mulcta, é a principal responsável pelo esquema de fraudes do Detran (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo). A ação foi realizada na manhã de quinta-feira (23). A estimativa é que o esquema movimente cerca de R$ 115 milhões ao ano.

Segundo a 1ª Delegacia Seccional, a mulher aliciava os funcionários para ceder as senhas de seus cadastros para ter acesso, posteriormente, ao sistema interno que efetua o desbloqueio das multas.

Acompanhada de um advogado, ela, que não foi encontrada em casa durante o cumprimento do mandado, se apresentou na 1ª Seccional na tarde desta quinta-feira para prestar depoimento. Por não haver prisão preventiva decretada, ela foi indiciada e liberada até que fossem concluídas as investigações.

Operação

A Polícia Civil realizou na quinta-feira (23) a Operação Mulcta, com o objetivo de reprimir uma organização criminosa que realiza fraudes no Detran-SP. Os trabalhos de inteligência foram realizados pelas equipes do 1° CERCO (Corpo Especial de Repressão ao Crime Organizado), com apoio na 1ª Delegacia Seccional do Centro.

De acordo com as investigações, a quadrilha consegue alterar informações no sistema eletrônico do Detran e dá baixa em multas de trânsito de forma ilícita.

Foram cumpridos oito mandados de busca e apreensão no estado: três na capital, três no interior, nos municípios de Campinas, Capivari e Salto, e dois no litoral, em Itanhaém e Peruíbe.

De acordo com a Record TV, o grupo age em todo o estado, mas possui uma espécie de central no interior.

Durante diligências, as equipes se deslocaram até uma casa em um condomínio de alto padrão em Salto, no interior paulista, local que as investigações identificaram como uma das centrais de operação montada pelo grupo.

Dentro do imóvel de quase R$ 2 milhões, que foi apreendido pela Justiça, também foram localizados relógios de luxo, um deles avaliado em mais de R$ 10 mil.

Na suíte master, havia uma fechadura eletrônica, além de diversas câmeras de monitoramento espalhadas pelo terreno.

Os policiais localizaram o imóvel sem moradores, mas com os cômodos bagunçados. Até mesmo araras e cães de raça foram deixados para trás.

Detran

Em nota, o Detran-SP informou que identificou a fraude no cancelamento de multas no sistema e acionou a Polícia Civil, que realizou a Operação Mulcta. "O Detran já inseriu bloqueios em seu sistema para que não se possa efetuar nem o licenciamento e nem a transferência dos veículos, a fim de que os envolvidos não possam se beneficiar do ilícito. A identificação interna do ato criminoso evitou também prejuízo aos cofres públicos", escreveu.

Em nenhum momento da fraude, a pontuação na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) foi desvinculada do prontuário dos proprietários dos veículos.

Últimas