São Paulo Criminoso responsável por cemitério clandestino é preso na Grande São Paulo

Criminoso responsável por cemitério clandestino é preso na Grande São Paulo

Conhecido como Rincon, membro de facção é apontado como responsável por decidir quem morreria no tribunal do crime

  • São Paulo | Do R7*, com informações do Cidade Alerta, da Record TV

Durante prisão, criminoso tentou destruir o próprio celular

Durante prisão, criminoso tentou destruir o próprio celular

Reprodução Record TV

A polícia prendeu um homem por suspeita de envolvimento em mortes no "tribunal do crime" em Carapicuíba, na Grande São Paulo. No momento da prisão, Mauro dos Santos de Oliveira, de 49 anos, conhecido como Rincon, ainda tentou destruir o próprio telefone celular para acabar com as provas de outros crimes.

Ele é considerado o responsável pelo cemitério clandestino encontrado no mês passado em Carapicuíba e que seria um local onde uma facção que atua dentro e fora dos presídios paulistas enterraria pessoas executadas no tribunal do crime.

A Polícia Civil já localizou cinco corpos no terreno. Na primeira escavação no cemitério clandestino foram achados três corpos, entre eles o de Liliane do Nascimento, 47 anos, que era escrivã do 14° DP de Jandira em SP. Ela estava afastada do serviço na ocasião em que o crime aconteceu.

Conforme apontou a investigação, além de comandar o crime organizado na comunidade de São Remo, Rincon era um dos braços mais importantes na organização criminosa e decidia quem viveria e quem seria executado.

No momento da chegada da polícia, o criminoso destruiu o próprio celular para tentar acabar com as provas de outros crimes praticados, mas a Polícia Civil está buscando todos os arquivos em perícia e também solicitou a quebra do sigilo telefônico.

Últimas