São Paulo Cristian Cravinhos é preso suspeito de agredir mulher no interior de SP

Cristian Cravinhos é preso suspeito de agredir mulher no interior de SP

Um dos autores do assassinato dos pais de Suzane von Richthofen, homem também teria tentado subornar policiais de Sorocaba

Cristian Cravinhos

Cristian Cravinhos é preso novamente no interior de SP

Cristian Cravinhos é preso novamente no interior de SP

Reprodução Record TV

Cristian Cravinhos, um dos autores do assassinato dos pais de Suzane von Richthofen, foi preso na madrugada desta quarta-feira (18) após agredir uma mulher e tentar subornar policiais.

O caso ocorreu em Sorocaba, no interior de São Paulo.

A polícia foi acionada para atender uma ocorrência de briga de casal. Ao chegarem no local, os agentes não encontraram as vítimas. Em seguida, fizeram uma ronda nas imediações e encontraram Cravinhos agredindo uma mulher. 

Cravinhos ofereceu R$ 1 mil aos policiais e disse que seu irmão, Daniel Cravinhos, viria de São Paulo com mais R$ 2 mil. Posteriormente, os agentes deram voz de prisão ao suspeito.

De acordo com a delegacia-sede de Sorocaba, Cravinhos está na carceragem, onde vai aguardar a audiência de custódia, prevista para 9h desta quarta-feira (18). Após a audiência, o Tribunal de Justiça de Sorocaba converteu a prisão de Cravinhos para preventiva — o suspeito foi encaminhado para o CDP (Centro de Detenção Provisoria) do município.

O boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Sede Norte de Sorocaba. O Tribunal de Justiça converteu, após a audiência, a prisão de Cravinhos para preventiva. 

A SSP (Secretaria de Segurança Pública) informou, por meio de nota, que Cravinhos foi preso por porte de munição e corrupção ativa.

Volta às ruas

Cristian Cravinhos passou a cumprir sua pena em regime aberto desde o ano passado. Ele deixou o presídio de Tremembé, no interior de São Paulo, um pouco antes das 16h do dia 23.

O documento foi assinado pela Vara de Execuções Criminais de Taubaté.

Condenado a 38 anos e meio de prisão, Cristian e o irmão Daniel Cravinhos, mataram os pais de Suzane após executarem um plano arquitetado pela filha do casal.

Os três foram presos em 2002 e condenados pelo Juri Popular em 2006. Suzane e Daniel, que eram namorados na época do crime, receberam pena de 39 anos de prisão. Cristian foi condenado a 38 anos e seis meses.

Suzane e Daniel continuam presos em Tremembé, no regime semiaberto, e aguardam decisão da Justiça sobreo  pedido de cumprirem a pena em liberdade.

O crime

Manfred e Marísia dormiam quando Suzane, o namorado dela, Daniel, e o irmão dele, Cristian Cravinhos, entraram na garagem no carro da jovem. A polícia conta que Suzane foi até o quarto dos pais para conferir se eles estavam dormindo.

Autorizados por ela, Daniel e Cristian entraram em ação. Daniel se aproximou de Manfred. Cristian, de Marísia. Foram inúmeros os golpes na cabeça com barras de ferro. Os irmãos ainda usaram toalhas molhadas e sacos plásticos para sufocar o casal.

Durante o assassinato, Suzane esperou no andar de baixo da casa. A jovem revirou o escritório para simular um assalto. Antes de ir embora, o trio embolsou 5.000 dólares e R$ 8.000 guardados por Manfred.

Depois da morte dos pais, Suzane foi com Daniel para um motel. Às três da madrugada, a jovem deixou Daniel em casa e foi em busca do irmão Andreas em uma LAN house. Ela e o irmão caçula voltaram à mansão. Ao se depararem com os pais mortos, Suzane acionou a polícia.

Na madrugada do dia 22 de julho de 2006, o Tribunal do Júri condenou Suzane e os irmãos Daniel e Cristian Cravinhos à prisão pelo assassinato do casal. Suzane, Daniel e Cristian foram condenados por duplo homicídio triplamente qualificado. Eles estão presos na penitenciária de Tremembé, no interior de São Paulo.

    Access log