Defesa de Roger Abidelmassih entra com pedido de habeas corpus

Ex-médico foi levado de volta a presídio em São Paulo nesta segunda-feira (31) após determinação expedida pela 6ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP 

Ex-médico foi levado de volta para o presídio em São Paulo

Ex-médico foi levado de volta para o presídio em São Paulo

Reprodução

A defesa de Roger Abidelmassih entra com pedido de habeas corpus nesta segunda-feira (31).  O ex-médico, condenado a 173 anos de prisão pelo abuso sexual de pacientes, foi levado de volta para o presídio em São Paulo.

A determinação foi expedida pela 6ª Câmara de Direito Criminal do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) após recurso do MP-SP (Ministério Público de São Paulo). Ele havia sido liberado em abril para cumprir pena em regime domiliciar por pertencer ao grupo de risco para o novo coronavírus.

De acordo com a defesa, o ex-médico estaria com a saúde fragilizada e não teria condições de ser tratado na Penitenciária de Tremembé - para onde Roger deve ser levado depois de passar por exames.

Prisão conturbada

Primeiramente, o ex-médico não foi localizado no endereço informado à Justiça, um condomínio de alto padrão, no bairro do Jardim Paulistano, na zona oeste de São Paulo.

Horas mais tarde, Roger foi localizado em outro imóvel, um apartamento na rua Batataes, no Jardim Paulista. Ele demorou cerca de 55 minutos para aceitar deixar o local. 

Segundo o delegado repsonsável pela prisão, Nico Gonçalves, a esposa do ex-médico tentou ganhar tempo já que havia protocolado o pedido de habeas corpus. Questionando sobre a saúde de Roger, o delegado afirmou que ele estava "andando de forma muito lenta e usando uma cadeira de rodas".