São Paulo Delegadas de SP lançam Movimento de Mulheres na Segurança Pública

Delegadas de SP lançam Movimento de Mulheres na Segurança Pública

Lançamento está previsto para acontecer quarta-feira (27), durante o Fórum Nacional da Inteligência Aplicada para o Combate à Criminalidade

Movimento visa aumentar participação de mulheres

Movimento visa aumentar participação de mulheres

Reprodução/Redes sociais

Três delegadas da Polícia Civil e uma da Polícia Federal que atuam em São Paulo vão lançar, na próxima quarta-feira (27), durante a 2ªedição do Fórum Nacional da IACC (Inteligência Aplicada para o Combate à Criminalidade), o Movimento Mulheres na Segurança Pública.

O movimento é liderado pelas delegadas Raquel Kobashi Gallinati e Juliana Ribeiro, presidente e diretora, respectivamente, do Sindpesp (Sindicado dos Delegados da Polícia Civil de São Paulo); Jacqueline Valadares, titular da 2ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher) da capital paulista; e Tânia Prado, presidente do SindPF-SP (Sindicato dos Delegados da Polícia Federal de São Paulo).

"É o início de um projeto para que as mulheres paulistas tenham maior acesso aos serviços de segurança, desenvolvendo a presença feminina, a confiança e a empatia para que as mulheres vítimas de crimes se sintam mais seguras para denunciar", afirma a delegada Raquel.

O objetivo do grupo é aumentar o engajamento feminino nas atividades policiais do Estado de São Paulo, sobretudo buscando ocupar posições de liderança dentro da estrutura da segurança pública. Atualmente, de acordo com dados do Sindpesp, as mulheres representam cerca de 15% do total de delegados no Estado de São Paulo.

Para a delegada Tânia, o movimento deve contribuir para "atrair as mulheres para as carreiras policiais e incentivá-las a participar de eventos e discussões de segurança pública". 

A presidente do sindicato dos delegados da PF ainda destaca que "poucas mulheres ingressam nas polícias, outras ainda encontram dificuldade de crescimento profissional e de compreensão das necessidades daquelas que acumulam as tarefas da maternidade com o serviço policial".

Conforme a delegada Juliana, embora “a segurança pública ainda seja um campo de atuação preponderantemente masculina, as mulheres têm, a cada dia, galgado espaços, inclusive de destaque, seja como delegadas de polícia, investigadoras, escrivãs de polícia, pouco a pouco quebrando o preconceito que ainda existe”.

Veja: Delegadas falam do machismo que sofrem durante o trabalho policial

O lançamento do movimento está previsto para 9h de quarta-feira, abrindo o segundo dia do fórum. No mesmo dia, o evento vai contar com a presença de figuras como Wilson Witzel, governador do Rio de Janeiro, e general Guilherme Cals Theophilo, secretário nacional de Segurança Pública.

O governador e o secretário estão confirmados para participar da mesa "Lei orgânica e constituição federal". No mesmo dia, o fórum vai debater sobre inteligência artificial na investigação da polícia judiciária, a segurança pública como direito humano fundamental e a forma de repressão qualificada ao crime organizado.

Já nesta terça-feira (26), primeiro dia de evento, a 2ª edição do Fórum IACC tem na programação discutir sobre o fortalecimento da polícia judiciária, os desafios para o enfrentamento da corrupção, além de debates sobre organização criminosa e formas de combater crimes virtuais, como fake news, deepfakes e revange porn.