São Paulo 'Diarista gato' diz que descartou clientes que praticaram assédio

'Diarista gato' diz que descartou clientes que praticaram assédio

Homem ganhou destaque nas redes sociais ao oferecer trabalho como faxineiro e reclama de preconceito

  • São Paulo | Do R7, com informações do Balanço Geral

Gautyelle Machado, de 32 anos, ganhou destaque nas redes sociais ao divulgar seu serviço de faxineiro, passando a ser conhecido como "diarista gato". Apesar da alcunha, ele diz ser profissional e que passou a descartar clientes que o procuravam com objetivos que não o da limpeza da casa. 

Gautyelle Machado, que atua como diarista

Gautyelle Machado, que atua como diarista

Reprodução/Record TV

“Primeira vez e última. Não quero mais saber”, diz em relação aos clientes assediadores. “Essas coisas mexem muito com a gente”, afirma.

Machado conta que já ouviu frases como “quanto você cobra para me beijar”, "faltou o beijo" - ao final de uma faxina - e "precisamos de alguém pra arrumar nossa cama". 

Após perder o emprego que tinha em um supermercado, ele migrou do Maranhão para São Paulo na busca de novos trabalhos e começou a fazer faxinas para seu sustento e para pagar a pensão da filha, de 11 anos.

Ele reclama do preconceito enfrentado na área. "Infelizmente as pessoas são preconcentuosas e acham que esse trabalho de diatrista é somente para as mulhares. É um tabu criado pelo machismo", diz.

Últimas