Em meio a coronavírus, SP perde estoque de sangue e pede doação

Fundação Pró-Sangue, da Secretaria da Saúde, afirma que está com 40% da reserva necessária para atender mais de 100 instituições da rede pública

Pró-Sangue pede por doações

Pró-Sangue pede por doações

ASCOM HEMOPA/Fotos Públicas

O número de doadores de sangue em São Paulo teve uma forte queda no mês de fevereiro e, com isso, o Estado sofre com desabastecimento e está com estoque baixo, precisando "urgentemente de doadores", conforme informou a Fundação Pró-Sangue, vinculada à Secretaria da Saúde do Estado de São Paulo.

A instituição pede para que as pessoas doem sangue antes de participar de campanhas de vacinação, e destaca ainda que o procedimento "continua sendo seguro e os postos de coleta não oferecem riscos aos candidatos".

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

A fundação acredita que a queda na doação de sangue foi "possivelmente causada por situações que normalmente afastam os doadores dos postos de coleta: feriado do carnaval, campanha de vacinação contra o sarampo entre outros".

A instituição afirma que "o coronavírus foi incluído nos critérios de triagem e pode trazer alguns impedimentos para as pessoas que viajaram para o exterior". As condições devem ser avaliadas individualmente.

De acordo com a Pró-Sangue, atualmente a instituição está com 40% da reserva necessária para atender mais de 100 instituições da rede pública — isso considerando todos os tipos sanguíneos.

"Os sangues do tipo O+, O-, A- e B- estão em estado de emergência, ou seja, garantem o abastecimento por apenas um dia. Vale destacar que o sangue O+ está 75% abaixo do necessário, sendo que o O- está 70%", informou.

Como doar

Para ser um doador de sangue, segundo a instituição, "basta estar em boas condições de saúde e alimentado, ter entre 16 e 69 anos (para menores de idade, consultar site da Pró-Sangue), pesar mais de 50 kg e levar documento de identidade original com foto recente, que permita a identificação do candidato".

A Pró-Sangue também recomenda que os interessados em doar evitem alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e, no caso de bebidas alcoólicas, 12 horas antes.

"Se a pessoa estiver com gripe ou resfriado, não deve doar temporariamente. Mesmo que tenha se recuperado, deve aguardar uma semana para que esteja novamente apta à doação", afirma.