São Paulo Em SP, árvores superam buracos e são principal reclamação de 2018

Em SP, árvores superam buracos e são principal reclamação de 2018

Ouvidoria da Prefeitura recebeu 13.251 registros de problemas diversos da cidade de São Paulo em 2018, um aumento de 15% em relação ao ano de 2017. 

Reclamações sobre poda e manejo de árvores liderou reclamações em 2018

Reclamações sobre poda e manejo de árvores liderou reclamações em 2018

Divulgação/Prefeitura de SP

Problemas relacionados a poda ou manejo de árvores na cidade de São Paulo cresceram 39% em 2018 e lideraram as queixas registradas na Ouvidoria da Controladoria Geral da Prefeitura de São Paulo. Foram 3.240 protocolos registrados entre janeiro e dezembro do ano passado, frente as 2.455 reclamações registradas em 2017. 

Leia mais: SP lança edital de R$ 19 milhões para patrocínio do carnaval de rua

Por outro lado, as reclamações sobre buracos e pavimentação na cidade caíram 27%. Em 2017 o órgão tinha recebido 2.703 queixas, já neste ano, o número caiu para 1.975. O que motivou a queda foram os esforços recentes da Prefeitura de São Paulo com uma operação constante de tapa-buracos em toda a cidade.

No total, o órgão recebeu 13.251 registros de problemas diversos da cidade de São Paulo em 2018, um aumento de 15% em relação ao ano de 2017. Os dados divulgados pela Controladoria também trouxeram um dado inédito, com 1.305 reclamações registradas sobre a qualidade do atendimento dos serviços da Prefeitura de São Paulo.

Vários chamados, um problema

O autônomo Luís Carlos Silva mora na Vila Santa Catarina, zona sul de São Paulo, já chegou a registrar três queixas para pedir a poda de uma árvore que está com os galhos caídos na rede elétrica em frente a sua casa.  A última reclamação foi feita em dezembro, seis meses depois de sua segunda queixa ter sido registrada.

"Os galhos estão encostados na rede elétrica, solicitei a poda devido ao período de chuvas, mas até hoje o serviço não foi executado", reclama o autônomo. O problema é frequente, reclamações são registradas e o serviço nunca é executado.

Mesmo para problemas com buracos nas ruas, há quem precisou registrar várias vezes a mesma queixa para ser atendida. A pedagoga Laila Rocha, mora no bairro Capela do Socorro, também na zona sul de São Paulo, e registrou ao menos três reclamações até conseguir que uma série de buracos em sua rua fossem reparados.

Reprodução

Outro lado

A Prefeitura de São Paulo afirmou que as subprefeituras têm até 120 dias para responder solicitações para poda ou remoção e informou que no ano passado, 89.668 árvores receberam serviços de poda e outras 11.671 foram removidas em toda a cidade – incluindo demandas represadas de anos anteriores.

"Desde meados do ano passado todas as subprefeituras contam com mais de uma equipe de poda e manejo de árvores, um esforço da atual gestão para tentar minimizar um problema histórico da cidade de São Paulo. Em média, 65 equipes trabalham nos serviços por mês em toda a cidade", afirmou por meio de nota a Secretaria Municipal das Subprefeituras.

Sobre as demandas referentes aos buracos, a Prefeitura explicou que mantém um programa emergencial de tapa-buraco, que realiza, em média, mil reparos diariamente e que são priorizados os locais com maior circulação e com buracos em dimensões maiores.

A administração municipal também ressaltou que os registros feitos pela Ouvidoria contribuem "para a melhoria dos serviços e para o fomento da transparência" e ressaltou que as queixas "são analisadas e encaminhadas para que o órgão questionado realize o serviço ou justifique quando e como será realizado".