Ex-segurança 'herói' de boate Kiss tenta retomar a vida em São Paulo

Após enfrentar problemas com a depressão e dependência química, Rodrigo Moura se mudou para a capital paulista em busca de emprego

Sete anos depois de ter sido um dos heróis na tragédia da Boate Kiss, em Santa Maria (RS), o ex-segurança Rodrigo Moura, hoje com 28 anos, vive em situação de rua na cidade de São Paulo enquanto busca retomar a vida. Em 2013, Rodrigo ajudou a quebrar a parede do banheiro da boate para salvar muitas vidas e foi peça fundamental na reconstituição feita pela Polícia Civil para determinar os culpados pelo incêndio. As informações são da Record TV.

Leia mais: "Ele cuspiu e falou que eu era macaco", diz motoboy de Valinhos

O ex-segurança acabou sendo internado logo após a tragédia, com os pulmões afetados pela fumaça do incêndio. Ele sobreviveu, mas a tragédia deixou outras marcas emocionais no jovem, que tinha 21 anos na época do incêndio. 

Rodrigo saiu do hospital e viveu por um ano do do auxílio de acidente de trabalho, período em que entrou em uma profunda depressão, virou usuário de droga e chegou a dormir algumas noites na rua.

À esquerda, Rodrigo Moura, com 21 anos, em entrevista sobre o incêndio na boate

À esquerda, Rodrigo Moura, com 21 anos, em entrevista sobre o incêndio na boate

Reprodução/ Record TV

Quando percebeu que o problema com as drogas piorava, ele se internou e, após algumas recaídas, conseguiu se reabilitar. Rodrigo Moura está há dois anos sem usar drogas.

Com a dependência sob controle, o jovem foi para Santa Catarina e Salvador tentar recomeçar, sempre tentando se encontrar, tentando algo novo, Mas nunca teve sucesso. Há 20 dias saiu de Florianópolis e veio para São Paulo pedindo carona, disposto a recomeçar a vida por aqui.

ELe busca agora um emprego para poder reconstruir vida. No futuro, também sonha em escrever um livro sobre a tragédia, para expor detalhes do que ocorreu naquela noite de 2013.