FAB vai apurar pouso de helicóptero em prédio da avenida Faria Lima

Equipes do Cenipa estão no local para analisar a aeronave, fazer fotos e coletar depoimentos para apurar as causas do incidente

FAB vai apurar pouso de helicóptero em prédio da avenida Faria Lima

Aeronave fez um pouso de emergência em cima de prédio na avenida Faria Lima

Aeronave fez um pouso de emergência em cima de prédio na avenida Faria Lima

Reprodução

Equipes do Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), órgão da FAB (Força Aérea Brasileira), vão apurar as causas que levaram um piloto a realizar um pouso de emergência na manhã desta quinta-feira (16) no topo de um prédio na avenida Faria Lima, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo.

Segundo a FAB, equipes estão "realizando a ação inicial da ocorrência envolvendo a aeronave" e esclareceu que "A investigação realizada pelo CENIPA tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram"

Esta ação inicial consiste em coletar dados, fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado o incidente.

O pouso foi flagrado por funcionários de um prédio ao lado. O vídeo mostra a aeronave, um helicóptero Robinson R-44 de prefixo PP-WFM, pousando bruscamente e balançando sem controle numa área verde no topo de um prédio onde funcionam setores de investimentos e administração do Banco Itaú. 

Aeronave foi coberta após incidente

Aeronave foi coberta após incidente

Reprodução

Ainda segundo a ANAC, a aeronave, que tem capacidade para três pessoas e não tinha autorização para realizar serviços de táxi aéreo, está registrada em nome de uma empresária e estava com certificado de voo em ordem.

Mais cedo, o Banco Itaú informou em nota que ninguém ficou ferido e que a aeronave não causou danos ao prédio. A empresa afirmou ainda que o helicóptero não estava a serviço do banco e que está dando todo o suporte para que a empresa de táxi áereo que seria dona da aeronave remova o equipamento.

A aeronave, coberta com lona, continua no local e será liberada para remoção após passar por análise da equipe do Cenipa. O R7 tentou contato com a proprietária da aeronave, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem.