São Paulo Família cria campanha por vítima de explosão de 'buquê-bomba'

Família cria campanha por vítima de explosão de 'buquê-bomba'

Mulher foi internada e casa ficou destruída após receber suposto presente em SP. Principal suspeito é um ex-namorado da vítima

  • São Paulo | Do R7, com informações da Agência Record

Telhado destruído caiu sobre o chão da casa de Edileuza

Telhado destruído caiu sobre o chão da casa de Edileuza

Reprodução/Record TV

A família da mulher internada após a explosão de uma bomba dentro de casa em Francisco Morato, na Região Metropolitana de São Paulo, criou um perfil nas redes sociais para arrecadar doações e recuperar o que foi destruído no ataque.  

A operadora de telemarketing Edileuza Cardoso Ramalho dos Santos, de 50 anos, recebeu um buquê de flores, um cartão e uma caixa que era, na verdade, uma bomba. No cartão, uma mensagem dizia "Te desejo muito amor e felicidade", assinada com o nome do atual companheiro da vítima. O artefato explodiu assim que Edileuza abriu o suposto presente. O principal suspeito do crime é o ex-namorado da vítima que teria indo procurá-la na terça-feira (5) e demonstrado ciúmes pelo atual namoro.

O impacto da explosão deixou um rastro de destruição no imóvel: arrancou as portas, destelhou o banheiro, estragou a mesa da cozinha, a geladeira, um armário e cobriu o chão de destroços. Nas imagens publicadas pelos familiares é possível também ver o sangue da vítima pelo chão.

Edileuza Ramalho, vítima de explosão em Francisco Morato

Edileuza Ramalho, vítima de explosão em Francisco Morato

Reprodução/Instagram

O perfil @ajudaedileuza, criado pelo filho e pela nora de Edileuza pede contribuição de qualquer valor em dinheiro ou em mesmo doação de telhas e portas. A preocupação é conseguir organizar o espaço para receber a mãe quando sair do hospital. "Não temos estimativa de valor. Só queremos ajuda com telhas e portas, nós mesmos colocamos. É mais pra arrumar a casa, pra quando ela tiver alta, poder entrar, né. Tá tudo destruído, não tem como ela vir pra casa", conta o filho da vítima. 

Para contribuir com a reconstrução, é possível enviar doações para o Banco Santander, agência 0259, conta 01038875-2, em nome de Johnny Santos, ou entrar em contato com a família pelo perfil nas redes.

Mensagem de cartão deseja "muito amor e felicidade" à vítima

Mensagem de cartão deseja "muito amor e felicidade" à vítima

Reprodução / Record TV

Internada em estado estável, Edileuza teve queimaduras de terceiro grau nos braços. Rosto, cabelo, tórax e barriga também foram queimados. A vítima também teve a audição afetada e um dos estilhaços atingiu seu olho, segundo Jhonata dos Santos, filho da vítima. Edileuza recebeu pontos no queixo e na barriga e sofreu ferimentos também dedo mínimo e  no braço direito.  Inicialmente levada por populares à Santa Casa de Francisco Morato, ela foi transferida no início da tarde para a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo.

Segundo o boletim de ocorrência, na explosão, o filho de Edileuza foi lançado a aproximadamente um metro de distância e sofreu escoriações leves no joelho esquerdo e ouvido. Ele não precisou ser internado.

Entrega

O pacote endereçado à Edileuza chegou no último sábado (2), entregue por um motoboy, mas só foi aberto nesta terça-feira (5), após a vítima retornar de uma viagem ao litoral. Ao abrir o embrulho, ela percebeu a presença de fumaça saindo do pacote e, na sequência, houve a explosão.

Edileuza sofreu queimaduras de terceiro grau

Edileuza sofreu queimaduras de terceiro grau

Reprodução / Record TV

Os familiares suspeitam que um ex-companheiro de Edileuza seja o responsável pelo envio da bomba. Isto porque a vítima terminou um relacionamento de 8 meses com o homem e, desde então, recebia ameaças dele por e-mail e redes sociais.

Edileuza foi socorrida por vizinhos e encaminhada para o hospital com ferimentos na barriga, nos braços e no rosto.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio qualificado e é investigado pela delegacia de Francisco Morato. Até o momento, ninguém foi preso.

Últimas