Fuzileiros navais são presos suspeitos de tráfico de droga 

Três civis também foram presos pela Polícia Militar durante operação na madrugada desta segunda-feira (9) no centro de São Paulo

Cinco pessoas foram presas nesta segunda-feira (9) no centro de SP

Cinco pessoas foram presas nesta segunda-feira (9) no centro de SP

Divulgação Polícia Militar de São Paulo

Cinco pessoas foram presas, entre elas dois fuzileiros navais, na madrugada desta segunda-feira (9), na região do Pari, no centro de São Paulo. A quadrilha é suspeita de envolvimento com tráfico de drogas.

De acordo com a Tenente Larissa, do 2º Batalhão de Trânsito da PM, por volta da 1h00, a equipe fazia uma blitz da Operação Direção Segura na ponte das Bandeiras, quando pediu para um motorista que conduzia um VW Gol estacionasse. Dentro do carro, os policiais encontraram cerca de 30 kg de cocaína. A droga estava sendo transportada desde o Mato Grosso do Sul, para ser distribuída no centro de São Paulo.

Caso será registrado no 13° DP (Casa Verde)

Caso será registrado no 13° DP (Casa Verde)

Divulgação Polícia Militar de São Paulo

O condutor do carro se identificou como fuzileiro naval, do 6º Distrito Naval do Mato Grosso do Sul. Ele confessou aos policiais que estava transportando a droga e contou com a ajuda de um colega, também fuzileiro. Além disso, o suspeito informou que outras três pessoas estariam esperando pela droga.

O homem informou aos policiais que estas pessoas estavam no Hotel Canindé, na rua Carnot. Os PM's foram até o local e encontram os suspeitos. O outro fuzileiro que teria ajudado no transporte da cocaína, foi localizado no Hotel Village, na rua Prates, no Bom Retiro.

Os três civis e os dois fuzileiros foram conduzidos ao 13º Distrito Policial (Casa Verde), onde o caso está sendo registrado.

Por meio de nota, a Marinha do Brasil informa que teve conhecimento que dois soldados Fuzileiros Navais, do Grupamento de Fuzileiros Navais de Ladário, foram detidos pela Polícia Militar de São Paulo-SP, transportando entorpecentes. Segundo o texto, a Marinha "coloca-se à disposição para apoiar as investigações na busca dos rigorosos esclarecimentos das circunstâncias que envolveram a ocorrência policial e ressalta, ainda, que não admite fatos dessa natureza, que ferem os princípios e valores cultuados por esta Força".

O caso está sendo acompanhado pelo Comando do 6º Distrito Naval.