São Paulo GCM testa spray de pimenta nos olhos de guardas em treinamento

GCM testa spray de pimenta nos olhos de guardas em treinamento

Um dos guardas não suportou os efeitos do produto nos olhos e precisou ser socorrido. Guarda Civil Metropolitana diz que o treinamento é 'normal'

Um vídeo que circula na internet mostra um treinamento da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo em que os guardas são submetidos a um 'teste' com spray de pimenta nos próprios olhos.

Nas imagens, os agentes recebem um jato do produto diretamente nos olhos, aplicado por instrutores. Na sequência eles são questionados sobre a eficácia do produto e, se após a aplicação, há condições que favoreçam uma imobilização da pessoa.

Spray foi aplicado diretamente nos olhos dos guardas

Spray foi aplicado diretamente nos olhos dos guardas

Reprodução/Facebook

"Quem não tiver suportando, levanta a mão e sai para lavar o rosto com água em abundância", diz um dos instrutores em determinado momento do vídeo. Na sequência um dos guardas, que durante todo o vídeo mostra-se mais incomodado pela ação do produto, levanta a mão e é levado para fora da sala.

Segundo o presidente do Sindicato dos Guardas Civis Metropolitanos, Clóvis Roberto Pereira, o treinamento é comum e que antes de iniciar o curso, os participantes são alertados e aceitam voluntariamente o teste. "Se algum guarda não quiser participar, ele não é obrigado, é um curso onde quem aceita passar pelo teste, faz como voluntário", diz Pereira.

Já um GCM que preferiu não se identificar, avalia que o teste deveria ser conduzido com mais cautela. "Isso é uma tristeza. A corporação está completamente sem rumo", diz outro GCM em tom de crítica, também sem se identificar por medo de represálias.

Por meio de nota, a Guarda Civil Metropolitana confirmou que as imagens foram gravadas em um treinamento da IOPE (Inspetoria de Operações Especiais) e que o curso tem reconhecimento da Academia de Formação em Segurança Urbana da Guarda Civil Metropolitana.

"Os GCMs que estão participando do curso são voluntários, e seus capacitadores foram devidamente treinados na empresa para utilizar os espargiadores individuais, modelo GL 108 E, cujo princípio ativo de capsaicina natural, um composto de gás de pimenta e espuma, perde seus efeitos imediatamente quando em contato com água. A finalidade é conhecer os efeitos do produto para uma utilização mais adequada quando necessário. É importante ressaltar que os instrutores são capacitados pela empresa Condor, que possui o aval do Exército Brasileiro para comercialização do produto".

Consultada, a Condor, empresa fabricante do produto utilizado no treinamento dos guardas, afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que "a doutrina do treinamento é uma prerrogativa da GCM". A empresa diz ainda que "o produto foi desenvolvido para ser utilizado na face para causar irritação para paralisar o alvo, mas não deve causar nenhum tipo de consequências permanentes".

    Access log