São Paulo Grupo de teatro é despejado em SP; outros 19 estão ameaçados

Grupo de teatro é despejado em SP; outros 19 estão ameaçados

Prédio foi adquirido por incorporadora que pretende construir condomínio de apartamentos

Grupo de teatro é despejado em SP; outros 19 estão ameaçados

O grupo de teatro Núcleo Bartolomeu de Depoimentos está sendo despejado nesta quinta-feira (27) do espaço que ocupa há oito anos na rua Doutor Augusto de Miranda, 786, na Vila Pompeia, zona oeste de São Paulo. Além dele, outros 19 teatros estão ameaçados pela expansão imobiliária. O prédio onde fica a sede do Bartolomeu foi adquirido há um ano pela Ink Incorporadora, que pretende destruir o edifício e construir um condomínio de apartamentos. 

Teatro foi cercado pela publicidade que anuncia empreendimento de incorporadora

Teatro foi cercado pela publicidade que anuncia empreendimento de incorporadora

Reprodução/Facebook

A informação sobre o despejo iminente foi passada pelo antigo proprietário no final de 2013. Desde então, o grupo resistia à desocupação. Os imóveis vizinhos ao galpão ocupado pelo Bartolomeu já foram demolidos pela construtora. O teatro foi cercado pela publicidade que anuncia o empreendimento. Eugênio Lima, um dos fundadores da companhia teatral, disse ao R7 que o grupo ainda não desistiu da sede. 

— A gente entrou um [recurso de] agravo para suspender a liminar, mesmo que o despejo aconteça, o agravo vai ser julgado. Se a gente conseguir impedir a demolição, pode conseguir um mecanismo para permanecer, porque o processo volta para os trâmites normais e ele vai ter uma prazo muito maior para ser executado. E isso vai forçar evidentemente uma negociação.

A implementação das Zepec (Zonas Especiais de Preservação Cultural) está prevista no Plano Diretor, mas dois artigos precisam ser regulamentados pelo prefeito Fernando Haddad. Ainda de acordo com Lima, com a resistência à desocupação, o grupo pretende criar situações para essa regularização. 

— A gente quer reparação pública, quer indenização e a publicização desse acontecimento para que isso sensibilize todos os poderes envolvidos para que se regulamente a lei de proteção dos territórios culturais expandidos.

Leia mais notícias de São Paulo

Ameaçados

A Cooperativa Paulista de Teatro enviou uma lista de 20 teatros — entre eles, o Bartolomeu — ameaçados, de alguma maneira, pela expansão imobiliária, para o Conpresp (Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo). O objetivo é um possível tombamento desses locais, o que ajudaria na permanência dos grupos nos imóveis atuais. 

Dorberto Carvalho, diretor da cooperativa, conta que os grupos estão instalados em locais antes abandonados e cercados pela criminalidade. Mas, com a atividade cultural, a região é valorizada. Ele disse que, em alguns casos, o preço dos alugueis chegou a triplicar de um ano para outro. 

— Existe uma valorização por conta da atividade cultural desenvolvida e vai dando outro sentido para aquele espaço, que vai deixando de ser abandonado, degradado, e vai tendo uma majoração dos alugueis. Então o próprio pessoal do teatro, que é responsável pela valorização desses espaços, é expulso.

Eugênio Lima fala sobre despejo:

O DJ e ator Eugênio Lima disse que essa lista é uma tentativa de dar publicidade à necessidade de preservação da cultura na cidade de São Paulo. 

— Existem outros valores que não é só o direito à propriedade privada. Isso precisa ficar muito claro, porque uma cidade não se faz só de prédios, uma cidade se faz de pessoas. As pessoas têm que ter espaços. O Bartolomeu é um espaço de interesse público, isso precisa ser preservado.  

Grupo de teatro é despejado na manhã desta quinta-feira de prédio na Pompeia, zona oeste de São Paulo

Grupo de teatro é despejado na manhã desta quinta-feira de prédio na Pompeia, zona oeste de São Paulo

Reprodução/Facebook

O Sated-SP (Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão de São Paulo) informou que, há 15 anos, luta por novos espaços para as pequenas companhias teatrais. A presidente, Ligia de Paula Souza contou que, naquela época, a entidade chegou a fazer um levantamento de 100 locais que poderiam ser usados pelos grupos teatrais. 

— Bastavam pequenas melhorias e modificações. 

Mas o projeto não vingou. Em 2015, o Satep pretende fazer um novo levantamento com objetivo de buscar novos locais. O resultado será enviado aos governos municipal e estadual para viabilização do uso. 

— Fica um imóvel deteriorando, sendo invadido ou para uso criminoso, então é melhor que fique na mão do artista, porque ali tem uma grande movimentação, o entorno, os moradores até gostam porque dá uma nova vida ao bairro. A própria população apoia esses movimentos. 

Veja a lista de grupos ameaçados feita pela Cooperativa de Teatro:

1. Casa Laboratório (sede da companhia de Cacá Carvalho)

2. Núcleo Bartolomeu de Depoimentos

3. Casa Livre (sede da Cia Livre)

4. Cia da Revista 

5. Sede Luz do Faroeste (palco da companhia Pessoal do Faroeste)

6. Galpão do Folias (teatro do grupo Folias) 

7. Espaço Cia do Feijão

8. Espaço dos Satyros

9. Teatro Commune

10. Heleny Guabira (Antigo Studio 184)

11. Casarão da Escola Paulista de Restauro (antigo espaço Redimunho de Teatro)

12. CIT-Ecum (Centro de Teatro Internacional)

13. Teatro do Incêndio

14. Club Noir 

15. Teatro do Ator

16. Instituto Brincante

17. Espaço Maquinaria (sede do grupo Teatro de Narradores)

18. Teatro da Vertigem

19. Espaço Os Fofos Encenam

20. Teatro Oficina 

O R7 entrou em contato com a Ink Incorporadora para comentar o despejo, mas até a publicação desta matéria não havia tido retorno. 

    Access log