Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Grupo é preso após GCM flagrar pai e filhos sendo julgados em tribunal do crime em São Paulo

As vítimas teriam tentado recuperar celulares que foram roubados. Houve confronto, e um membro da quadrilha morreu

São Paulo|Laura Lourenço e Guilherme Fernandes, da Agência Record


Todos os detidos tinham passagem pela polícia
Todos os detidos tinham passagem pela polícia

Sete suspeitos foram presos e dois adolescentes, apreendidos após a GCM (Guarda Civil Municipal) de Itaquaquecetuba ter flagrado um homem e seus filhos ao serem julgados pelo tribunal do crime, em uma comunidade na rua Alegria, no bairro Parque Residencial Marengo, na tarde de terça-feira (14).

Três vítimas, sendo um adolescente de 17 anos, outro de 19 e o pai dos irmãos, foram libertados.

Segundo informações do secretário de Segurança do município, o coronel Anderson Caldeira, equipes da GCM realizavam um patrulhamento quando populares lhes informaram que havia uma movimentação estranha na comunidade.

Leia também

Os agentes decidiram descer até a rua e depararam com o tribunal do crime. Ao perceberem a presença dos guardas, diversas pessoas começaram a gritar e a correr.

Publicidade

Nove dos suspeitos foram detidos. Também foram apreendidas três armas, sendo uma pistola calibre 9mm e dois revólveres, de calibre 34mm e 38mm.

No quintal de uma das residências, a GCM encontrou os irmãos e o pai. As vítimas informaram que foram capturadas em Poá, cidade também da região metropolitana, e trazidas para dentro da comunidade, para ser submetidas a uma espécie de julgamento paralelo, na qual os responsáveis por determinar a pena dos acusados são membros de facções criminosas, como o PCC (Primeiro Comando da Capital).

Publicidade

O coronel afirmou, ainda, que o julgamento se deu porque o grupo roubou os celulares dos adolescentes e, na última sexta-feira (10), os irmãos decidiram que recuperariam seus aparelhos, indo atrás dos suspeitos.

Houve um confronto entre os adolescentes e o grupo, e um dos suspeitos foi baleado e morto. Isso gerou revolta nos colegas, que decidiram levá-los ao tribunal do crime.

Segundo os jovens, o tiro que matou o homem durante o confronto foi dado por um dos comparsas dele, acidentalmente.

O pai dos adolescentes não aceitou que ambos fossem sozinhos ao local e disse aos criminosos que os acompanharia.

Todos os sete suspeitos presos possuem passagens pela polícia, e os dois menores de idade já estiveram na Fundação Casa. O caso foi apresentado na Delegacia Central de Itaquaquecetuba.

Veja a nota da Secretaria de Segurança Pública, na íntegra

Sete homens com idades entre 40 e 30 anos foram presos em flagrante e dois adolescentes, de 15 e 17 anos, foram apreendidos, às 14h30 desta terça-feira (14), na Avenida Mário de Andrade, no bairro Parque Marengo, em Itaquaquecetuba, na região metropolitana de São Paulo.

Guardas civis municipais estavam em patrulhamento quando receberam a informação de que estava ocorrendo uma movimentação suspeita e que possivelmente alguém estava sendo feito refém em uma viela próxima. No local, havia uma grande quantidade de pessoas, que ao perceber a viatura, tentaram fugir. Os nove suspeitos foram detidos pelos agentes e com um deles, de 40 anos, foi apreendida uma pistola 9mm. Outros dois revólveres, calibres 44 e 38, foram encontrados no chão.

As vítimas, três homens de 50, 26 e 17 anos, relataram que foram feitas reféns pelos criminosos e seriam executadas após um suposto julgamento organizado pela quadrilha. Os nove suspeitos foram detidos e permaneceram à disposição da Justiça.

Foram solicitados exames periciais ao IC e ao IML e o caso, registrado como organização criminosa, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e apreensão de adolescente na Delegacia de Itaquaquecetuba.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.