São Paulo Guardas atiram contra família e pai e filha têm risco de perder a visão

Guardas atiram contra família e pai e filha têm risco de perder a visão

Agentes da Romu agrediram moradores com chutes e dispararam com bala de borracha. Homem e a jovem estão no hospital

  • São Paulo | Geovanna Hora, da Agência Record*

Vídeos gravados por moradores mostraram agressão e disparos de GCMs

Vídeos gravados por moradores mostraram agressão e disparos de GCMs

Reprodução

Agentes da Romu (Ronda Ostensiva Municipal) de Osasco, na Grande São Paulo, agrediram moradores do Jardim Veloso, inclusive com chutes na cabeça, como mostraram vídeos gravados pelos moradores, e dispararam com balas de borracha contra uma família, na noite do último sábado (1º). O pai e a filha correm risco de perder a visão.

Segundo Nycolle, denunciante que entrou em contato com a reportagem, por volta das 23h os guardas passaram pela rua Gabriel Soares de Souza e encontraram três homens sentados em frente a um bar.

Eles abordaram os três e pediram que baixassem o volume da música. Segundo ela, o dono do bar atendeu ao pedido, mas os agentes começaram a fazer questionamentos, o que resultou em uma discussão.

A denunciante comenta que um dos homens na mesa era o seu pai, Joab Santos Teixeira. Em depoimento à polícia, Joab afirmou que os guardas civis foram violentos durante a abordagem e agrediram com cabeçadas e socos um dos seus amigos, de prenome Carlos.

Ele relatou ainda que após um período de discussões, Carlos tentou sair do local, mas foi perseguido pelos agentes até o final da rua. Nycolle denunciou que os guardas civis agrediram o homem com diversos chutes, antes de o conduzirem até a viatura.

Um vídeo mostra dois agentes puxando Carlos, enquanto ele tenta se desvencilhar e fugir. Nas imagens, é possível ver ainda que um dos guardas agride Carlos com um chute na cabeça.

Quando os agentes estavam deixando a região, relata  jovem, a rua estava muito movimentada, pois as pessoas saíram de suas casas para checar o que estava acontecendo.

Ela relata ainda que os guardas civis abordaram o pai dela novamente. Segundo Nycolle, eles foram agressivos com Joab e, por esse motivo, ela tentou intervir, mas foi empurrada por um dos guardas, o que deu início a uma nova discussão.

Os guardas civis começaram a jogar spray de pimenta nas pessoas que estavam ali, comenta Nycolle, e a disparar uma arma com balas de borracha para o alto.

Ela denuncia ainda que, quando o seu pai correu para entrar em casa, um dos agentes tentou acertá-lo com os tiros. Joab foi atingido no rosto e no braço. Além dele, uma de suas filhas, Geovanna Tawanne, de 21 anos, foi gravemente ferida em um dos olhos.

Joab foi levado ao Pronto Socorro Jardim D'Abril e Geovanna foi conduzida por populares ao Hospital Antônio Giglio. Posteriormente, ambos foram transferidos ao Hospital das Clínicas e correm risco de perder a visão.

Segundo Nycolle, o caso de Geovanna é grave e necessita de uma intervenção cirúrgica devido ao risco de perder a visão. O pai, Joab, também teve ferimentos graves nos olhos e também pode perder a visão.

O boletim de ocorrência foi registrado no 5º DP de Osasco. A Agência Record aguarda o recebimento do boletim de ocorrência.

Em nota, a prefeitura de Osasco informou que "tão logo soube dos acontecimentos, os GCMs foram identificados e afastados das ruas. A situação está sendo investigada pela Corregedoria da Guarda Municipal e também pelo comando da corporação".

*estagiária da Agência Record, sob supervisão de Rafael Custódio

Últimas