São Paulo Instabilidade e ciclone pioraram temporal em SP

Instabilidade e ciclone pioraram temporal em SP

Capital paulista e Grande São Paulo registraram queda de árvores e estragos nesta segunda

  • São Paulo

Um tornado teria atingido a cidade de Embu Guaçu nesta segunda

Um tornado teria atingido a cidade de Embu Guaçu nesta segunda

Edu Silva/Futura Press/Estadão Conteúdo

De acordo com os meteorologistas da Climatempo, as fortes pancadas de chuva e as rajadas de vento que causaram estragos nesta segunda-feira (16) na cidade de São Paulo foram provocadas por uma linha de instabilidade que se formou, no início do dia, na divisa entre São Paulo e Paraná, chegando à região da capital por volta das 16h. Outro fator que contribuiu para aumentar a intensidade dos ventos foi o deslocamento, pelo litoral da Região Sul, de um ciclone extratropical considerado forte e de grande extensão.

Uma linha de instabilidade, segundo a Climatempo, é um conjunto de nuvens densas, do tipo cúmulos-nimbos — cuja extensão vertical é maior que 15 quilômetros e se desloca de forma interligada, aumentando a intensidade dos temporais e potencializando os ventos. "É comum termos ventania e chuva forte na passagem desse tipo de sistema", informou a Climatempo, logo antes do temporal.

De acordo com meteorologistas, o fenômeno também influenciou o clima no litoral de toda a Região Sudeste do País, aumentando a possibilidade de registro de ressacas e colaborando para o aumento da intensidade dos ventos.

Próximos dias

Além disso, depois de um domingo ensolarado, uma frente fria atingiu na segunda-feira o território paulista, deixando o tempo encoberto e provocando pancadas de chuva em todas as regiões.

Ela começa a se afastar nesta terça-feira, mas uma frente com ar polar deve avançar ainda esta semana pelo Sudeste e a mínima deve chegar a 14°C na quinta-feira. A expectativa é de que uma frente polar, bem mais forte, atinja São Paulo na próxima semana.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Estragos: após chuva, SP tem mais de 170 árvores caídas e duas mortes:

Últimas