São Paulo Isolamento abaixo de 50% ameaça flexibilização na cidade de São Paulo

Isolamento abaixo de 50% ameaça flexibilização na cidade de São Paulo

Tanto a capital quanto a região metropolitana correm risco de não entrarem no plano de retomada do governo do estado se taxa não aumentar

  • São Paulo | Do R7

Trânsito na Avenida da Juntas Provisórias, na zona sul de São Paulo

Trânsito na Avenida da Juntas Provisórias, na zona sul de São Paulo

ANDERSON LIRA/FRAMEPHOTO/ESTADÃO CONTEÚDO - 23.04.2020

A taxa de isolamento social na cidade de São Paulo e na região metropolitana ficou pelo segundo dia seguido abaixo de 50%, o que coloca em risco a flexibilização da quarentena, afirmou o governador João Doria em entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (24).

Saiba como se proteger e tire suas dúvidas sobre o novo coronavírus

A adesão registrada tanto na quarta-feira (22), quanto na quinta (23), é de 48%  “Sinal amarelo mais uma vez”, declarou o governador. Doria anunciou esta semana que a partir do dia 11 de maio o estado de São Paulo adotará a retomada de atividades econômicas de forma gradual e regionalizada. Caso o índice não aumente, o governador afirmou que será revisada a possibilidade de flexibilização da quarentena na região.

A secretaria estadual de Saúde considera ideal a taxa de 70% de isolamento social no estado e considera 50% a taxa mínima. O cálculo leva em conta a capacidade do sistema de saúde para receber pacientes com covid-19.

"Isto é muito grave. Estamos num momento em que não pode haver qualquer relaxamento na política de distanciamento", afirmou o coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus, o infectologista Davi Uip.

Uip se disse "muito preocupado" com a queda do isolamento. "Ontem eu voltando do trabalho me deparei com postos de gasolina com inúmeros, dezenas de jovens aglomerados, sem máscara, como se nada estivesse acontecendo", disse. "Nós não vamos pagar essa conta amanhã ou depois. Isso vai estar refletido nos números daqui a uma ou duas semanas", explicou. 

O infectologista agradeceu o apoio da popuçação às medidas de isolamento e pediu que se mantenha a colaboração. "Nós precisamos voltar a ter compromisso pessoal e ter responsabilidade com a socidade", disse.

Mesmo as cidades consideradas pelo governo como “campeãs” de isolamento não atingem a taxa ideal, mas passam dos 50% de adesão. A lista divulgada pelo governador aponta taxa de 62% em São Sebastião, 61% em Ubatuba, 60% em Lorena, Cruzeiro e Itanhaém, 58% em Ribeirão Pires, 56% em são Vicente, Pindamonhangaba e Caçapava, 55% em Caraguatatuba, Mairiporã, Ibiúna, Bebedouro e Cajamar, 54% em Itapecerica da Serra e Poá e 53% em Guaratinguetá, Caieiras, Pirassununga e Votuporanga.

Últimas