São Paulo Jornalista que filmou guardas agredindo mulher na Cracolândia (SP) é ameaçado por moradores

Jornalista que filmou guardas agredindo mulher na Cracolândia (SP) é ameaçado por moradores

Após repercussão do vídeo nas redes sociais, policiais que participaram da agressão no centro da capital foram afastados

  • São Paulo | Mariana Rosetti, da Agência Record

Jornalista filmou abordagem agressiva dos policiais contra uma mulher na Cracolândia

Jornalista filmou abordagem agressiva dos policiais contra uma mulher na Cracolândia

Divulgação/Caio Castor

Um jornalista foi intimidado e ameaçado por um grupo de moradores após filmar agressão a uma mulher, cometida por GCMs (guardas civis metropolitanos), na região da Cracolândia, no centro de São Paulo, no sábado (28).

A denúncia foi feita pelo jornalista Caio Castor, que também é videorrepórter e documentarista. As imagens gravadas por ele mostravam uma mulher sendo agredida com cassetete e spray de pimenta por agentes da GCM. O vídeo que ele publicou nas redes sociais viralizou.

Por ser morador do bairro, o jornalista está em grupos de WhatsApp da região. Ele começou a perceber mensagens de reclamação de vizinhos após a publicação do vídeo.

Em um dos grupos, uma pessoa diz: "Estou muito triste por saber que um dos moradores do prédio está fazendo essas filmagens que só vão prejudicar a nós mesmos". Outra comenta: "Precisamos saber qual morador fez isso".

Uma segunda mensagem sugere que Caio seja esfaqueado. A pessoa diz: "Gostaria muito que quem fez isso fosse agredido. Esfaqueado na rua por esses 'noias'..." – em uma referência aos usuários de drogas da Cracolândia. Outro morador faz ameaça mais contundente: "Se a GCM sair daqui, esse morador vai ter problema sério".

Ameaças contra o jornalista em aplicativo de mensagens

Ameaças contra o jornalista em aplicativo de mensagens

Reprodução - 31.05.2022

Um dos membros do grupo divulgou a identidade, o condomínio e apartamento do jornalista. Por volta das 18h30 do sábado, cerca de 15 pessoas se reuniram e foram até o condomínio, onde ele mora com a mulher e a filha.

O interfone começou a tocar incessantemente, segundo Caio. Quando decidiu atender, afirma ele, uma pessoa o xingou e ameaçou invadir o apartamento e "quebrar tudo".

Caio disse que temeu pela própria vida e também pela família. Dessa forma, entrou em contato com alguns amigos que moram na região, que acionaram a polícia.

Quando a Polícia Civil chegou ao condomínio, o grupo já havia se dispersado, contou ele. O jornalista foi escoltado com a família e, desde então, está em outro endereço, por questões de segurança.

Caio registrou um boletim de ocorrência eletrônico de ameaça, e o caso será investigado pelo 77º DP (Santa Cecília). A vítima disse à reportagem que acompanha as movimentações e ações policiais na região da Cracolândia desde 2015.

Últimas